Estados Unidos

Internacional Rússia intercepta aviões dos EUA e da França no mar Negro

Rússia intercepta aviões dos EUA e da França no mar Negro

Segundo o governo russo, forças militares estrangeiras se aproximaram da fronteira do país com aeronaves 

  • Internacional | Do R7

Governo da Rússia afirmou que aeronaves estrangeiras respeitaram a fronteira russa

Governo da Rússia afirmou que aeronaves estrangeiras respeitaram a fronteira russa

Wikimedia Commons

A Rússia afirmou nesta quinta-feira (9) que enviou caças para interceptar e escoltar aeronaves militares americanas e francesas que voavam perto da fronteira no mar Negro em meio a tensões entre Moscou e o Ocidente.

"Três caças Su-27 foram enviados para identificar alvos aéreos e evitar uma violação das fronteiras da Federação Russa", disse o ministério da Defesa, em comunicado.

Segundo essa fonte, os aviões interceptaram e escoltaram dois caças franceses Mirage 2000 e Rafale, um avião-tanque KC-135 da Força Aérea francesa e dois aviões de reconhecimento americanos, um CL-600 Artemis e um RC-135.

As cinco aeronaves deram meia-volta e, em seguida, os caças russos retornaram para sua base, informou o ministério. Um dia antes, a Rússia anunciou que havia interceptado e escoltado três aviões franceses que sobrevoavam o mar Negro.

Nas últimas semanas, as relações têm sido muito tensas entre a Rússia e os países ocidentais, que acusam Moscou de concentrar tropas na fronteira com a Ucrânia para preparar uma operação militar.

Durante uma entrevista na terça-feira (7) com seu homólogo russo Vladimir Putin, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ameaçou a Rússia com "sanções econômicas rígidas" em caso de ataque à Ucrânia.

A mesma linha é defendida pela França, que alertou a Rússia na quarta-feira (8) sobre "consequências estratégicas e massivas" se a Ucrânia for prejudicada.

Os russos negam preparar uma invasão na Ucrânia e acusam os países da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) de aumentarem as "provocações", com manobras militares perto de suas fronteiras no mar Negro.

Últimas