Internacional Rússia nega que está divulgando fake news sobre vacinas nos EUA

Rússia nega que está divulgando fake news sobre vacinas nos EUA

Washington teria identificado 4 plataformas russas que espalham notícias falsas sobre dois imunizantes americanos pelo país

Rússia nega que estaria divulgando fake news sobre vacinas nos EUA

Rússia nega que estaria divulgando fake news sobre vacinas nos EUA

Christophe Petit Tesson/EFE/EPA - 06.03.2021

O Kremlin chamou nesta terça-feira (9) de "absurdas" as acusações de Washington de que a Rússia estaria realizando uma campanha de "desinformação" na internet contra as vacinas anticovid autorizadas nos Estados Unidos.

Um porta-voz da diplomacia americana disse na segunda-feira que Washington "identificou quatro plataformas internas russas, dirigidas pelos serviços de inteligência russos, que espalham desinformação" sobre suas duas vacinas, mas não especificou quais.

"Não entendemos essas declarações e temos a intenção de explicar paciente e constantemente que se trata de um absurdo total", reagiu nesta terça-feira o porta-voz da Presidência russa, Dmitri Peskov.

"Sempre fomos contra a ideia de politizar qualquer questão relacionada com as vacinas", acrescentou Peskov, afirmando que a Rússia "nunca" organizou essas campanhas de desinformação.

"A Rússia, pelo contrário, colabora com outras empresas produtoras de vacinas para encontrar o remédio mais eficaz", destacou.

Segundo o jornal americano Wall Street Journal, esta suposta campanha apontaria principalmente contra a vacina da Pfizer/BioNTech. As autoridades americanas também aprovaram o uso dos imunizantes da Moderna e da Johnson & Johnson.

A Rússia, por sua vez, produz a vacina Sputnik V, desenvolvida pelo laboratório moscovita Gamaleya e homologada em 46 países. A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) está analisando esta vacina desde a semana passada.

Nos últimos anos, os Estados Unidos acusaram várias vezes a Rússia de promover campanhas de desinformação online, de interferência eleitoral e de realizar ciberataques em massa. Moscou nega todas essas acusações.

Últimas