Rússia tem mais de 15 mil casos diários e França decreta restrições

Por toda a Europa, número de infecções está subindo e governos estão tendo que adotar medidas para controlar transmissões e descontrole

Rússia registrou mais de 15 mil casos diários nas últimas 24 horas

Rússia registrou mais de 15 mil casos diários nas últimas 24 horas

Maxim Shemetov/Reuters - 15.10.2020

O coronavírus se espalha por toda a Europa e atinge números recordes de infecções no leste, especialmente na Rússia e na República Tcheca, mas também na Alemanha, enquanto a França se prepara para aplicar o toque de recolher em Paris e outras cidades a partir desta meia-noite.

Isso num dia em que o diretor-executivo da Agência Europeia de Medicamentos (EMA, em inglês), o italiano Guido Rasi, garantiu que as primeiras vacinas contra o coronavírus chegarão na primavera do próximo ano, "se tudo der certo".

“É muito difícil, quase impossível, ter a vacina até 2020. Se tudo correr bem, nos primeiros meses de 2021 poderão haver três vacinas aprovadas pela EMA”, explicou Rasi, para quem “a disponibilidade de doses aumentará muito rapidamente depois aprovação”, embora tenha especificado que “a chegada da vacina será o início do fim da pandemia, mas não o fim”.

Nesta sexta-feira (16), a premiê da Finlândia, Sanna Marin, deixou um evento depois de ter contato com um parlamentar finlandês infectado com covid-19 e na quinta-feira (15), a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, também deixou uma reunião pelo mesmo motivo.

Rússia

A Rússia registrou nas últimas 24 horas um total de 15.150 novos casos de covid-19, um novo recorde de infecções diárias desde o início da epidemia, de acordo com as autoridades de saúde do país hoje. Esse é o maior número de infecções em todo o período da pandemia, segundo o centro operacional de combate ao coronavírus.

De acordo com estatísticas oficiais, no último dia também houve 232 mortes por covid-19, o que eleva o número total de mortes por esta doença para 23.723. A principal fonte de infecção no país desde o início da epidemia é Moscou, que acrescentou 5.049 casos e 54 mortes por coronavírus ao registro diário.

Para conter o avanço da epidemia, a Câmara Municipal de Moscou ordenou o home office para pelo menos 30% da força de trabalho de empresas e organizações, se o trabalho remoto não afetar seu funcionamento, e recomendou que idosos com mais de 65 anos e doenças crônicas fiquem em casa.

Alemanha está instaurando medidas de restrição em alguns distritos

Alemanha está instaurando medidas de restrição em alguns distritos

Fabrizio Bensch/Reuters - 16.10.2020

Alemanha

A Alemanha registrou 7.334 novas infecções por coronavírus nesta sexta-feira (16) nas últimas 24 outras, o que representa um novo máximo desde o início da pandemia, segundo dados do Instituto Robert Koch (RKI) de virologia.

Com isso, o número de infecções registradas desde o início da pandemia chega a 348.557, o de 9.734 de óbitos e o de 284.600 de recuperados.

Os números dificilmente podem ser comparados com os da primavera porque o número de exames aumentou consideravelmente, com os quais se descobrem mais casos de pessoas sem sintomas.

O número de bairros ou cidades que ultrapassam 50 infecções por semana por 100 mil habitantes subiu para 70. Quando essa incidência é ultrapassada a cada semana, regras adicionais devem ser impostas, como o fechamento de restaurantes e bares após as 23h.

Em alguns estados federais, os hotéis foram proibidos de acomodar hóspedes dessas áreas de risco.

França

O ministro da Economia e Finanças francês, Bruno Le Maire, justificou esta sexta-feira o toque de recolher que entra em vigor esta meia-noite em nove zonas urbanas do país porque a alternativa de ter de aplicar um confinamento geral nessas zonas teria um custo económico de 5 bilhões de euros. Pelo menos 20 milhões de pessoas serão afetadas pelo toque.

Na quinta-feira (15), foi registrado um número recorde de 30.621 novos casos em 24 horas, o que superou em muito os demais registros alcançados na semana anterior.

Com exceção da primeira noite, o toque de recolher vigorará entre 21h e 6h, período em que lojas e estabelecimentos que recebem o público, como restaurantes, cinemas, teatros ou salas de espetáculos, deverão ser fechados.

Ucrânia

A Ucrânia registrou quase 6 mil novos casos de covid-19 hoje, um novo recorde diário, informaram as autoridades de saúde do país. No total, 5.992 novos casos de coronavírus foram detectados nas últimas 24 horas, refletindo a tendência de aumento do covid-19 na Ucrânia. No dia anterior, 5.062 foram relatados.

Além disso, 106 pessoas morreram no último dia da doença no país, ante 2.269 que se recuperaram. Na Ucrânia, 287.231 casos de coronavírus foram registrados desde o início da pandemia e 5.408 mortes.

República Tcheca tem mais de 3 mil pacientes internados com covid-19

República Tcheca tem mais de 3 mil pacientes internados com covid-19

David W Cerny/Reuters - 13.10.2020

República Tcheca

A República Tcheca registrou um novo recorde de infecções por covid-19 com 9.721 novos casos nas últimas 24 horas, informou o governo hoje, que até mesmo levantou a possibilidade de pedir ajuda à Alemanha se seus hospitais ficarem saturados de pacientes.

Existem atualmente mais de 84 mil infecções ativas entre os onze milhões de tchecos, com 3 mil hospitalizados e 543 deles em estado grave, informou o Ministério da Saúde.

Com 660 casos por 100 mil habitantes nas últimas duas semanas, a República Tcheca tem os maiores índices de contágio da União Europeia e está em estado de emergência desde o último dia 5.

Desde esta semana, escolas, mas não creches, bares e restaurantes estão fechados, e sem a obrigatoriedade do confinamento, a população é orientada a ficar em casa e sair apenas o que for indispensável, como ir trabalhar ou comprar itens essenciais.

Hungria

A Hungria registrou 33 mortes por coronavírus em um dia, o que representa um novo recorde de mortes no país da Europa Central desde o início da pandemia, e eleva o número total de mortes para 1.085. O número de infecções devido a covid-19 nas últimas 24 horas aumentou em 1.293 novos casos.

Segundo dados oficiais, existem atualmente 28.806 casos ativos de coronavírus no país, 1.642 internados e 171 pessoas conectadas a respiradores. A Hungria fechou suas fronteiras em 1º de setembro para impedir a propagação da pandemia.

Portugal

Com uma média de mais de dois mil contágios por dia, Portugal tenta controlar a pressão hospitalar, que nas últimas horas foi de 993 internamentos, mais 139 em unidades de cuidados intensivos (UCI).

Apesar do elevado número de casos, Portugal ainda não atingiu a média de 1.230 internados e 200 internados em UCIs, como aconteceu em abril.

Portugal encontra-se desde quinta-feira em estado de calamidade, pelo que medidas restritivas para suavizar a curva de contágio reduzem as reuniões de rua e restaurantes a um máximo de cinco pessoas. Entre os focos mais preocupantes estão os estudantes universitários e as residências para idosos.

Itália decretou medidas de restrição para conter avanço do vírus

Itália decretou medidas de restrição para conter avanço do vírus

Ciro De Luca/Reuters - 16.10.2020

Itália

A região da Campânia, no sul da Itália, decidiu fechar todas as escolas até 30 de outubro como medida para conter o aumento das infecções por covid-19, que dispararam nas últimas semanas e estão causando problemas de saúde.

A partir desta sexta-feira (16), as aulas não serão ministradas nas escolas primárias e secundárias da Campânia e as atividades de ensino presencial também estão suspensas nas universidades, com exceção das relativas aos alunos do primeiro ano, de acordo com a portaria assinada esta quinta-feira pelo Presidente da Campânia Vincenzo de Luca.

Também são proibidas festas, incluindo cerimônias civis ou religiosas, em locais abertos ao público e privado, internos ou externos, e com convidados não relacionados aos familiares próximos.

Na Itália há 4.913 surtos ativos, incluindo 1.749 novos, ambos em alta pela décima primeira semana consecutiva e destacou-se que a maioria continua ocorrendo em casa (80,3%).

Reino Unido

Várias autoridades locais no norte da Inglaterra são contra o novo sistema de restrições que o governo criou - de três escalas de risco - e exigem maior apoio financeiro para os trabalhadores afetados pelos bloqueios.

O governo britânico ordenou ontem que Londres passasse um nível mais estrito de restrições - 2 - para conter a pandemia, com a proibição a partir desta meia-noite de encontros fechados entre pessoas que não vivam na mesma casa.

Liverpool já está no nível máximo de restrições - 3-, com o fechamento de bares e “pubs” que não vendem comida, mas outras grandes cidades poderão entrar nessa escala em breve.

No último dia, 18.980 novas infecções e 138 óbitos foram registrados no Reino Unido.