Novo Coronavírus

Internacional Rússia vai treinar cães para detectar covid em aeroportos

Rússia vai treinar cães para detectar covid em aeroportos

Alguns dos cachorros em treinamento já tem experiência detectando câncer. Depois da inspeção canina, infectados terão que fazer teste

Cães serão treinados para detectar covid

Cães serão treinados para detectar covid

Divulgação/Medical Dog

O serviço canino da companhia aérea russa Aeroflot começou a treinar 15 cães para detectar viajantes infectados com o coronavírus em aeroportos, informou nesta sexta-feira (2º) a vice-primeira-ministra russa Tatiana Gólikova.

O CEO da Aeroflot, Vitali Savéliev, por sua vez, indicou que os primeiros resultados desse treinamento são esperados para dezembro, segundo a agência TASS.

Por enquanto, os 15 cães do centro canino da companhia aérea iniciaram testes com a identificação de diferentes biomateriais, explicou Gólikova, acrescentando que alguns dos cães têm experiência na detecção de pessoas com câncer.

De acordo com a vice, testar todos os passageiros para coronavírus na chegada a um aeroporto é um procedimento complicado e, portanto, uma alternativa poderia ser o uso de cães para detectar a covid-19 entre o fluxo de viajantes.

O passageiro identificado terá então de se submeter ao teste de PCR, disse Gólikova.

A chefe de saúde da Rússia, Anna Popova, valorizou a opção de usar animais para a detecção do coronavírus porque reduziria o tempo em que uma pessoa infectada permanece entre outras e, portanto, reduziria o risco de disseminação.

Moscou lidera número de casos

Na Rússia, a incidência da infecção por covid-19 está aumentando, embora cerca de 60% do aumento de novos casos seja registrado atualmente em Moscou, destacou Gólikova.

Nas últimas 24 horas em todo o país ocorreram 9.412 novos casos de coronavírus. Somente em Moscou, foram 2.704.

O prefeito da capital, Sergei Sobianin, ordenou na quinta-feira (1º) que pelo menos 30% da força de trabalho de cada empresa deve trabalhar da próxima segunda-feira até 28 de outubro em casa.

Ele já havia recomendado o teletrabalho e que maiores de 65 anos, assim como pessoas com doenças crônicas, fiquem em casa.

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, disse hoje que a introdução de um novo confinamento na Rússia não está sendo considerada no momento.

No total, 1.194.643 casos de coronavírus foram detectados na Rússia e 21.077 mortes pela doença.

Gólikova considerou hoje "grave" o aumento de novos casos nas últimas duas semanas, embora já fosse esperado com o regresso dos trabalhadores às empresas e a chegada da época da gripe.

Últimas