Protestos contra o racismo

Internacional Senador dos EUA descreve escravidão como 'mal necessário'

Senador dos EUA descreve escravidão como 'mal necessário'

Tom Cotton, do estado do Arkansas, foi acusado de racismo nas redes sociais e se defendeu dizendo que esta é 'a visão dos Pais Fundadores' do país

  • Internacional | Do R7

Tom Cotton, senador republicano do estado do Arkansas

Tom Cotton, senador republicano do estado do Arkansas

Flickr / Michael Vadon

O senador norte-americano Tom Cotton descreveu a escravidão como um "mal necessário" sob o qual os Estados Unidos foram construídos, uma declaração considerada racista que ressurge em meio a um processo de meses de fortalecimento dos debates sobre o racismo no país e de protestos antirracistas ao redor do mundo.

O comentário foi feito em uma entrevista a um jornal local, na qual o senador Republicano do estado do Arkansas afirmou que rejeita a ideia de que os EUA sejam um país sistematicamente racista em seu cerne. 

"Como os Pais Fundadores disseram, a escravidão foi um mal necessário sob o qual a União foi construída, mas de uma maneira que extinguiria pra sempre a escravidão, como disse [Abraham] Lincoln", afirmou.

Polêmica

Cotton é um crítico assíduo do Black Lives Matter e está à frente de um projeto de lei chamado de Ato de Salvação da Historia Americana (Saving American History Act).

O projeto vai contra a iniciativa vencedora do prêmio Pulitzer de nome "1619", que baseia o ensino de Historia Americana sobre a chegada dos primeiros africanos escravizados ao país em agosto de 1619.

Segundo o político, a iniciativa é "propaganda esquerdista", cuja premissa é a de que os EUA estão enraizados em um racismo estrutural irredimível.

Em suas redes sociais o político se defendeu das acusações de racismo afirmando que estava refletindo a visão dos Pais Fundadores, e não a sua.

EM FOTOS: As marcas da escravidão em ruas e prédios históricos dos EUA

Últimas