Internacional Senadores republicanos impedem inquérito sobre ataque ao Capitólio

Senadores republicanos impedem inquérito sobre ataque ao Capitólio

Oposição alega que a decisão de não investigar o caso minimiza a violência da ação praticada por apoiadores de Donald Trump

Capitólio foi invadido por apoiadores de Donald Trump em janeiro deste ano

Capitólio foi invadido por apoiadores de Donald Trump em janeiro deste ano

Shannon Stapleton/Reuters - 06.01.2021

Republicanos do Senado dos Estados Unidos inviabilizaram nesta sexta-feira (28) um inquérito bipartidário sobre o ataque de apoiadores do ex-presidente Donald Trump ao Capitólio, apesar de uma avalanche de críticas de que estavam minimizando a violência.

Democratas e alguns republicanos moderados pediram que uma comissão investigasse os acontecimentos transcorridos antes e durante o dia 6 de janeiro, quando centenas de apoiadores do republicano Trump invadiram o Capitólio, enfrentando a polícia, incitando a violência contra parlamentares e adiando a certificação formal da vitória eleitoral do presidente, Joe Biden – um episódio que deixou cinco mortos, incluindo um capitão da polícia do Capitólio.

A medida foi barrada por 54 votos a 35, menos do que os 60 necessários para fazer a legislação avançar no Senado de 100 membros. Os 35 votos contrários foram todos de republicanos. Seis republicanos votaram a favor.

O líder democrata no Senado, Chuck Schumer, disse após a votação: "Todos nós sabemos o que está acontecendo aqui. Republicanos do Senado escolheram defender a Grande Mentira porque temem que qualquer coisa que possa aborrecer Donald Trump poderia prejudicá-los politicamente".

A comissão proposta teria tido o poder de forçar testemunhas, possivelmente até Trump, a depor sob juramento sobre o que ocorreu naquele dia. Trump pediu a parlamentares que votassem contra ela.

Foi a primeira vez neste ano em que os republicanos conseguiram usar a barreira dos 60 votos, conhecida como filibuster, para derrotar uma legislação.

A votação ressalta os grandes desafios dos democratas na câmara dividida igualmente, já que terão que conquistar ao menos algum apoio republicano para aprovar reformas no policiamento, legislação sobre direito ao voto e outras prioridades.

A Casa Branca disse que Biden continua comprometido com uma investigação completa e independente do ataque.

Últimas