Estados Unidos

Internacional Serviço Geológico dos EUA descarta risco de tsunami no país

Serviço Geológico dos EUA descarta risco de tsunami no país

Havia a preocupação de que erupção do vulcão Cumbre Vieja, na Espanha, pudesse provocar ondas gigantes na costa americana

Segundo o órgão, colapsos de vulcões insulares são eventos muito raros

Segundo o órgão, colapsos de vulcões insulares são eventos muito raros

Reuters - 20.09.2021

Os especialistas do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, pela sigla em inglês), descartou a possibilidade de que a erupção de um vulcão na ilha de La Palma, na Espanha, gere um tsunami que poderia atingir até a costa americana.

"Os colapsos de vulcões insulares são eventos muito raros. Se acontecesse (não há evidência iminente, a propósito), teria um grande impacto local. A ideia do "mega tsunami" no campo distante foi em grande parte desmascarada", se manifestou o órgão, no Twitter.

A afirmação publicada pelo USGS veio como resposta a usuário da rede social que, justamente, questionava a possibilidade de que uma onda de gigantescas proporções alcançasse os EUA - nos últimos dias, também foi ventilada a possibilidade de um tsunami na costa do nordeste do Brasil

O USGS recomendou no Twitter que os seguidores que quiserem obter mais informações sobre a erupção e as eventuais repercussões do fenômeno, devem acompanhar as contas do Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias e do Instituto Geográfico Nacional da Espanha.

"Recomendamos seguir ao @involcan e ao @IGNSpain, que estão monitorando a situação", indicou o órgão americano.

Leia também: Veja fotos impressionantes do vulcão em erupção em La Palma

O Serviço Geológico dos Estados Unidos ainda classificou como 'clickbait', ou seja, busca pela atenção dos leitores, antes mesmo da visualização da informação, por parte dos publicadores de notícias sobre um possível tsunami gerado pelo vulcão.

Algumas teorias sobre uma catástrofe gerada pela erupção do vulcão espanhol, com uma onda de 25 metros que cruzaria o Atlântico em alta velocidade e se chocaria contra toda a costa do continente americano, são baseadas em um artigo publicado em 2001.

O Instituto Vulcanológico das Ilhas Canárias, no entanto, indicou durante a semana que a hipótese foi refutada anteriormente, devido a estabilidade do vulcão, que não correria risco de sofrer a fratura alegada pelo estudo, que provocaria o tsunami.

Últimas