Eleições EUA 2020

Internacional Serviço Postal dos EUA adia reformas para depois da eleição

Serviço Postal dos EUA adia reformas para depois da eleição

Administrador indicado por Trump recua de planos que poderiam prejudicar a votação pelo correio na eleição presidencial de novembro

Plano previa a retirada de milhares de caixas de correio pelo país

Plano previa a retirada de milhares de caixas de correio pelo país

Brian Snyder / Reuters - 16.8.2020

O administrador do Serviço Postal dos EUA, Louis DeJoy, anunciou nesta terça-feira (18) que vai adiar uma reforma na empresa para depois da eleição presidencial de novembro. O correio norte-americano está no centro de uma disputa partidária envolvendo os votos antecipados na eleição.

Leia também: Como funciona o voto pelo correio nas eleições nos EUA

Pelo menos 20 dos 50 estados norte-americanos entraram na Justiça para adiar as reformas e garantir o funcionamento do voto por correio, que vem sendo criticado pelo presidente Donald Trump. Ele alega que essa modalidade facilitaria as fraudes eleitorais, algo que diversos estudos provaram que não é verdade.

Mudanças operacionais

Medidas como redução de horas dos funcionários, fechamento de centros de distribuição de correspondência e caixas de correspondência que inicialmente seriam retiradas antes da eleição, foram adiadas por DeJoy. Isso poderia interferir no andamento e apuração dos votos.

Por conta da pandemia do novo coronavírus, quase 75% dos eleitores norte-americanos terão a opção de pedir suas cédulas eleitorais antecipadamente e devolvê-las pelo correio ou entregar em locais de votação no dia da eleição, 3 de novembro. A ideia é evitar aglomerações e filas.

Últimas