Eleições EUA 2020

Internacional Serviço Secreto reforça segurança de Joe Biden em reta final

Serviço Secreto reforça segurança de Joe Biden em reta final

Segundo jornal, agentes estão indo para um centro de convenções em Washington onde a equipe do democrata aguarda os resultados 

  • Internacional | Da EFE

Biden tem segurança reforçada em reta final

Biden tem segurança reforçada em reta final

Kevin Lamarque/Reuters - 5.11.2020

O Serviço Secreto dos Estados Unidos começou nesta sexta-feira (6) a aumentar o número de agentes que protegem Joe Biden, o candidato do Partido Democrata à presidência do país, diante da possibilidade de que ele saia vencedor das eleições, segundo apurou o jornal The Washington Post.

O vice do governo de Barack Obama já contava com segurança fornecida pela agência federal americana desde março, quando aconteceu a indicação da legenda para concorrer à Casa Branca, enfrentando o atual presidente e candidato à reeleição, Donald Trump.

De acordo com o Post, os novos agentes designados estão se dirigindo para um centro de convenções em Washington, cidade onde Biden vive e onde a equipe do democrata aguarda os resultados da apuração nos estados do Arizona, Carolina do Norte, Geórgia, Nevada e Pensilvânia, cruciais para o desfecho das eleições.

De acordo com projeções da imprensa americana, o ex-vice conta com 264 delegados no Colégio Eleitoral, que de fato, escolhe o presidente dos EUA - embora haja divergências sobre os 11 do Arizona -, enquanto Trump obteve até o momento 214. Ao todo, é preciso alcançar 270 votos para vencer a disputa.

Depois que deixou a Casa Branca, em 2015, no fim do governo de Obama, Biden permaneceu sob a proteção do Serviço Secreto por mais seis meses. Na época, ganhou o codinome 'Celtic' (Celta), dos agentes, denominação que voltou a ser utilizada durante a campanha eleitoral, conforme veiculou a emissora americana CNN.

Últimas