Soldado paraguaio fica ferido em tiroteio na fronteira com Brasil

Confronto entre Marinha e supostos contrabandistas nas margens do rio Paraná resultou em 35 prisões. Guarda baleado está em coma no hospital

Incidente aconteceu no rio Paraná

Incidente aconteceu no rio Paraná

Wikimedia Commons

Um soldado paraguaio ficou gravemente ferido durante um tiroteio entre supostos contrabandistas e uma patrulha da Marinha, ocorrido nas margens do rio Paraná, na fronteira com o Brasil, nesta quinta-feira (16), no qual 35 pessoas foram detidas.

O incidente ocorreu nas margens do bairro de San Miguel, na Cidade do Leste, a segunda maior do país e separada por uma ponte de Foz do Iguaçu, depois que a patrulha militar se aproximou para verificar um barco com produtos contrabandeados que deveriam passar para o Brasil.

Os marinheiros foram atacados com armas automáticas, provocando um intenso tiroteio onde Agüero González, de 22 anos, foi ferido. Ele está internado em um hospital de Cidade do Leste em coma induzido.

O militar está hospitalizado "no Pavilhão de Trauma de Cidade do Leste com prognóstico reservado", informou a Marinha em comunicado.

As autoridades locais informaram a prisão de cerca de 35 pessoas, todos moradores do bairro, que foram levados para a Base Naval para serem submetidos a averiguação para determinar se eles participaram do ataque.

Fechamento de fronteira

A Cidade do Leste, capital do departamento do Alto Paraná, é uma das cidades mais atingidas pelo fechamento de fronteiras causadas pela pandemia da coronavírus, uma vez que 90% de seu comércio é voltado para o Brasil, motivo pelo qual tem proliferado o contrabando para o país através do rio Paraná.

Incidentes armados também são frequentes no lado brasileiro da fronteira, mas entre os agentes com contrabandistas ou traficantes de drogas.