Rússia x Ucrânia

Internacional Soldados ucranianos encontram ânfora do século 4 enquanto cavavam trincheira

Soldados ucranianos encontram ânfora do século 4 enquanto cavavam trincheira

Recipiente era usado por egípcios, gregos, romanos e bizantinos e ficará exposto em um museu após ser catalogado

  • Internacional | Do R7

Resumindo a Notícia

  • Soldados ucranianos encontraram um ânfora em Odessa
  • Estima-se que o item possa ser do século 4, quando romanos habitavam a região
  • As ânforas eram usadas para transportar desde vinho a peixes desidratados
  • Item foi levado ao Museu de Arqueologia de Odessa
Ânfora encontrada por soldados ucranianos em trincheira pode ser do século 4

Ânfora encontrada por soldados ucranianos em trincheira pode ser do século 4

Reprodução Facebook/126ª Brigada de Defesa Territorial de Odessa

Soldados da Ucrânia encontraram uma ânfora em ótimo estado de conservação enquanto escavavam uma trincheira em Odessa, cidade portuária no oeste do país. Estima-se que a peça seja do século 4 ou 5 d.C., e pode ter pertencido aos romanos que habitavam a região. Esse tipo de utensílio também era utilizado por gregos, egípcios e bizantinos

As descobertas foram divulgadas pelos soldados da 126ª Brigada de Defesa Territorial pelo Facebook. Além do item preservado, uma imagem mostra que foram localizados fragmentos de uma outra cerâmica.

Após ser catalogado, a ânfora encontrada pelos oficiais será levada ao Museu Arqueológico de Odessa, onde poderá ser exposta em breve.

Segundo a Smithsonian Magazine, o primeiro relato da produção de uma ânfora é de mais de 3.000 anos. Esses recipientes tinham tamanhos específicos para cada finalidade. Os maiores e finos eram usados para armazenar e servir vinhos, enquanto os mais amplos eram utilizados para transportar peixes e cereais. Frascos menores eram usados para perfumes.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, acreditou ter encontrado uma destas urnas em 2011, enquanto realizava um mergulho no Mar Negro. Momentos depois, foi a vez do porta-voz da presidência russa, Dmitry Peskov, explicar que os itens haviam sido implantados por arqueólogos para a falsa descoberta do mandatário.

Últimas