Eleições EUA 2020

Internacional Superterça: Biden tenta recuperar terreno e Sanders, a consolidação

Superterça: Biden tenta recuperar terreno e Sanders, a consolidação

Nas disputas que vão do pequeno Maine à Califórnia rica em delegados no oeste, primárias democratas para as eleições 2020 ganham caráter nacional

Reuters
Biden fez comício no Texas e Bernie apostou em Minnesota: definição na Superterça

Biden fez comício no Texas e Bernie apostou em Minnesota: definição na Superterça

Fotos: EFE-EPA / Montagem: R7

Bernie Sanders tentará consolidar o comando da corrida democrata nas eleições presidenciais dos Estados Unidos quando 14 Estados votarem nas primárias nesta terça-feira (3), enquanto seu maior rival, Joe Biden, pretende recuperar terreno derrotando o estreante Michael Bloomberg na luta pelo apoio dos moderados, no dia mais importante da campanha pela indicação do partido.

Nas disputas da Superterça, que vão do pequeno Maine, no leste, à Califórnia rica em delegados no oeste, a batalha democrata para encontrar um desafiante para o presidente republicano Donald Trump na eleição de 3 de novembro se tornará uma competição nacional pela primeira vez.

SAIBA MAIS: 'Superterça' começa a definir rumos da candidatura democrata

A sequência de eleições primárias pode finalmente trazer alguma clareza a uma disputa turbulenta pela Casa Branca, que já testemunhou a ascensão e a queda de vários pré-candidatos e deixou muitos eleitores democrata divididos e incertos.

Sanders, senador progressista do Vermont que lidera a corrida, torce para dar um grande passo rumo à indicação nesta Super Terça, quando mais de um terço dos delegados que escolhem o candidato serão decididos.

Saída de outros candidatos beneficiariam Biden

Mas Biden emergiu como a maior ameaça a Sanders. A enorme vitória do ex-vice-presidente na Carolina do Sul no sábado provocou uma avalanche de declarações de apoio de autoridades do partido que temem que as propostas do democrata socialista Sanders para reestruturar a economia sepultem a sigla em novembro.

Biden ganhou um novo ímpeto na véspera da Superterça quando os ex-adversários moderados Pete Buttigieg, ex-prefeito de South Bend, em Indiana, e Amy Klobuchar, senadora do Minnesota, desistiram da corrida e o endossaram.

"Estou buscando um presidente que extrairá o melhor de cada um de nós, e estou incentivando todos que foram parte da minha campanha a se unirem a mim, porque encontramos esse líder", disse Buttigieg a respeito de Biden em um evento de campanha em Dallas.

Mais tarde, Klobuchar dividiu um palco com Biden em um comício em Dallas para anunciar seu apoio. "Precisamos unir nosso partido e nosso país", disse.

O objetivo de Biden nesta terça-feira será encostar em Sanders em número de delegados, o que lhe daria uma chance de recuperar terreno no restante da campanha.

Bloomberg e Warren seguem na disputa

Ex-prefeito de Nova York, o bilionário Bloomberg continua sendo um azarão agora que entra na competição. O moderado não participou das quatro primeiras disputas e gastou mais de meio bilhão de dólares de seu próprio dinheiro para bombardear os Estados da Super Terça e os subsequentes com anúncios, mas viu sua aprovação recuar nas pesquisas depois de um desempenho ruim em seu primeiro debate.

Elizabeth Warren, senadora e aliada progressista de Sanders, também continua na corrida e pode conseguir uma vitória em seu Estado natal de Massachusetts. As pesquisas a mostram atrás em outros Estados, o que cria incerteza para sua campanha.

O ritmo da corrida democrata se acelera depois da Super Terça, já que outros 11 Estados votam até o final de março. A esta altura, quase dois terços do total de delegados terão sido distribuídos.

Sanders chega à Superterça com 60 delegados contra os 54 de Biden após as quatro primeiras disputas estaduais. Ele fez um empate virtual com Buttigieg em Iowa e venceu em New Hampshire e Nevada.

Últimas