Novo Coronavírus

Internacional Surto em abatedouro na Alemanha teve série de 'supercontaminadores'

Surto em abatedouro na Alemanha teve série de 'supercontaminadores'

Baixas temperaturas dentro das instalações, ar-condicionado, falta de ventilação e esforço físico dos trabalhadores dispararam os contágios

Abatedouro na Alemanha foi reaberto nesta semana

Abatedouro na Alemanha foi reaberto nesta semana

Wolfgang Rattay/Reuters - 16.7.2020

Um estudo divulgado nesta sexta-feira (24) sobre o surto do novo coronavírus ocorrido em um abatedouro na cidade de Gütersloh, na Alemanha, indicou os fatores que levaram a cerca de 2 mil casos na região.

A partir de um funcionário que estava infectado pelo patógeno, uma série de fatores foi apontada como "supercontaminadores", permitindo contágio rápido a oito metros de distância.

De acordo com a pesquisa, as baixas temperaturas dentro das instalações, o sistema de ar-condicionado, aliados à falta de ventilação no interior da empresa e o trabalho com esforço físico dos trabalhadores, acabaram disparando a reprodução.

Com isso, o raio de contágio acabou sendo maior que o considerado regular. Mesmo o distanciamento social implantado na fábrica não foi suficiente para evitar a contaminação.

O surto de Gütersloh, detectado em meados de junho, obrigou o fechamento temporário do abatedouro e a imposição de um reconfinamento na cidade, o que afetou cerca de 640 mil pessoas.

A reconstituição dos casos foi parte do estudo realizado pelo Centro de Pesquisas de Infecções de Helmholtz, pela Clínica Universitária de Universitária de Hamburgo-Eppendorf e pelo Instituto de Virologia Experimental de Leibniz.

Reabertura do abatedouro

O abatedouro Tönnies, onde foi registrado o surto, foi reaberto nesta semana, com novos filtros no sistema de ventilação e diversas melhorias nas condições para os funcionários.

Diante dos casos registrados na cidade, em meio ao aumento no número na época, verificou-se que a maioria correspondia a pessoas que trabalharam na empresa ou que tiveram contato com os empregados.

A resposta das autoridades do estado da Renânia do Norte-Westfália, onde fica Gütersloh, gerou críticas de opositores, por causa do longo reconfinamento imposto à população, até um relaxamento lento e gradual, que já foi concluído.

Últimas