Internacional Suspeito de invadir desfile nos EUA teria deixado prisão há dois dias

Suspeito de invadir desfile nos EUA teria deixado prisão há dois dias

Homem de 39 anos já havia sido detido por outros delitos e polícia acredita que ele poderia estar em fuga no momento da tragédia

  • Internacional | Da Ansa

Bombeiros e policiais terminam de limpar o local do acidente, no centro de Waukesha (EUA)

Bombeiros e policiais terminam de limpar o local do acidente, no centro de Waukesha (EUA)

Cheney Orr / Reuters - 22.11.2021

O motorista do SUV que invadiu um desfile de Natal na cidade de Waukesha, em Wisconsin, e atropelou dezenas de pessoas, teria deixado a prisão há dois dias sob fiança de US$ 1 mil (cerca de R$ 5,6 mil). A informação foi divulgada pela imprensa americana, citando documentos judiciais do condado de Milwaukee, na tarde desta segunda-feira (22).

De acordo com os dados, Darrell Brooks Jr., um rapper de 39 anos conhecido como MathBoi Fly, já havia sido detido no dia 5 de novembro por violência doméstica, resistência a um funcionário público, conduta perigosa e não pagamento de fiança.

O principal suspeito da tragédia, que foi detido após provocar a morte de ao menos cinco pessoas, se declarou inocente de todas as acusações. Ele, no entanto, tem uma condenação por direção perigosa e porte de armas em julho de 2020 e outros precedentes que datam de 1999.

No momento, MathBoi Fly é interrogado pelas autoridades, que estão investigando também se ele estaria fugindo da cena de outro crime, um esfaqueamento ocorrido em outra região da cidade, na hora em que invadiu o desfile de Natal.

Segundo a polícia, até agora não há indícios de ter sido um atentado terrorista. O veículo SUV avançou neste domingo (21) em um desfile de Natal em Wisconsin, nos Estados Unidos, e deixou ao menos cinco pessoas mortas e dezenas feridas.

Os números do trágico episódio "podem mudar à medida que mais informações sejam coletadas".

O governador de Wisconsin, Tony Evers, afirmou que ele e sua esposa estão "rezando" por Waukesha e por "todas as crianças, famílias e membros da comunidade afetados por esse ato sem sentido". Ele ainda determinou que as bandeiras sejam colocadas a meio mastro no estado para homenagear as vítimas do massacre.

Últimas