Internacional Talibã repetiu promessa de permitir a saída de afegãos, afirmam EUA

Talibã repetiu promessa de permitir a saída de afegãos, afirmam EUA

Chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, disse no Qatar que extremistas vão autorizar viagens de quem tem documentos

AFP
Afeganistão enfrenta protestos depois que o Talibã assumiu o poder do país

Afeganistão enfrenta protestos depois que o Talibã assumiu o poder do país

Hoshang Hashimi/AFP – 07.09.2021

O Talibã prometeu novamente ao governo dos Estados Unidos que permitirá a saída do país dos afegãos que assim desejarem, afirmou nesta terça-feira (7) o chefe da diplomacia americana, Antony Blinken, que visita o Qatar.

Líderes do movimento islamita, que retornou ao poder no Afeganistão em agosto, afirmaram que "permitirão que as pessoas com os documentos de viagem partam de maneira livre", disse Blinken em uma entrevista coletiva.

O governo do presidente Joe Biden é pressionado por informações, algumas delas confusas, sobre pessoas com passaporte americano que estão bloqueadas no aeroporto de Mazar-i-Sharif, norte do Afeganistão, segundo uma ONG americana.

"A comunidade internacional espera que o Talibã respeite este compromisso de permitir a saída das pessoas", disse Blinken, ao lado do secretário de Defesa, Lloyd Austin.

O Qatar reafirmou que o aeroporto de Cabul, fechado desde que os últimos soldados americanos saíram do país no fim de agosto, reabrirá em breve, mas não anunciou uma data concreta.

Esta é a primeira viagem à região de funcionários de alto escalão do governo americano desde que o Talibã assumiu o poder em 15 de agosto e após a retirada total das tropas estrangeiras.

Na segunda-feira, os talibãs anunciaram que controlam todo o país e que acabaram com o foco de resistência no vale de Panjshir.

Até o momento, os talibãs não anunciaram um novo governo. Analistas consideram que a chegada ao poder dos islamitas aconteceu de maneira tão rápida que surpreendeu inclusive o movimento, que não estava preparado para as etapas posteriores.

Últimas