Internacional Talibãs celebram 100 anos de independência do Afeganistão

Talibãs celebram 100 anos de independência do Afeganistão

País era parte do Império Britânico. Grupo islâmico está negociando acordo de paz com os EUA e a retirada de tropas estrangeiras do território

Talibãs comemoram 100 anos de independência

Talibãs comemoram 100 anos de independência

Watan Yar / EPA / EFE / 5.5.2019

Os talibãs lembraram nesta segunda-feira (19) o centenário da independência do Afeganistão do Império Britânico e ressaltaram que o acordo entre os insurgentes e os Estados Unidos para a retirada das tropas estrangeiras do país está próximo.

"Com a bênção desta guerra santa, está cada vez mais perto o dia em que os invasores (americanos) deixarão completamente nosso país, assim como antes já havia acontecido com os britânicos e com os soviéticos", diz um comunicado divulgado pelos talibãs.

O talibãs lembraram que o acordo com os Estados Unidos para encerrar quase 18 anos de ocupação no Afeganistão, que começou pouco depois dos atentados às Torres Gêmeas em 2001, "está na fase em que os invasores se preparam para a retirada das tropas".

"Recomendamos que deixem o Afeganistão para os afegãos e prestem atenção à história sobre este Cemitério de Impérios", acrescenta a nota.

As conversas entre EUA e os talibãs acontecem em Doha, no Catar, e podem desembocar em um acordo que incluiria a redução de 14 mil para 9 mil militares americanos no Afeganistão, e em troca os insurgentes se comprometeriam a não colaborar com a Al Qaeda e outros grupos terroristas.

Os talibãs também deverão se comprometer a iniciar uma negociação de paz com o governo afegão, o que se negam a fazer até o momento.

O Afeganistão, tradicional encruzilhada de civilizações, foi cenário no século XIX de uma feroz rivalidade - conhecida como "O grande jogo" - entre a Rússia czarista e o Império Britânico pelo controle da Ásia Central.

O status de protetorado britânico durou até 1919, quando o Afeganistão conseguiu a independência ao fim de uma guerra.

Em fevereiro deste ano o país também celebrou o 30º aniversário da retirada das tropas soviéticas do Afeganistão, o fim de dez anos de uma invasão que custou à extinta URSS 16 mil mortos.