Terremoto é detectado na Coreia do Norte perto de zona de testes nucleares

Tremor teria ocorrido em zona onde sismos semelhantes já foram registrados

Coreia do Sul diz acreditar que tremor, de magnitude 3,4, pode ter sido natural
Coreia do Sul diz acreditar que tremor, de magnitude 3,4, pode ter sido natural BBC BRASIL

Um terremoto de magnitude 3,4 foi detectado neste sábado (23) na Coreia do Norte.

O tremor teria ocorrido perto de uma zona onde sismos semelhantes já haviam sido registrados durante a realização de testes nucleares.

Sismólogos chineses disseram se tratar de "uma explosão suspeita". Mas a Coreia do Sul informou que pode ser um terremoto natural.

No último dia 3 de setembro, a Coreia do Norte realizou um potente teste nuclear que foi amplamente condenado pela ONU.

França pode deixar Olimpíadas de Inverno por insegurança na Coreia

Coreia do Norte considera teste de bomba de hidrogênio no Pacífico

A potência do terremoto deste sábado é menor do que a usualmente detectada quando a Coreia do realiza testes nucleares.

Depois do último teste, dados do Serviço Geológico dos Estados Unidos indicaram se tratar, inicialmente, de um terremoto de magnitude 5,6 a uma profundidade de 10 km.

Mais tarde, o tremor foi classificado como de magnitude 6,3 a 0 km.

O terremoto deste sábado foi registrado em uma profundidade de 0 km na província de Hamgyong do Norte, onde se localiza a zona de testes nucleares conhecida como Punggye-ri, disse a agência meteorológica da Coreia do Sul.

As autoridades sul-coreanas afirmaram acreditar que se tratou de um terremoto natural porque ondas sonoras específicas geradas por tremores artificiais não podem ser detectadas, informou a agência de notícias Reuters.

Analistas da Organização do Tratado de Proibição Total de Testes Nucleares (CTBT, na sigla em inglês) estão analisando "a atividade sísmica atípica de pequena magnitude" na Coreia do Norte, disse o secretário-executivo da entidade, Lassina Zerbo, no Twitter.

Ele afirmou que o terremoto ocorreu "a 50 km dos testes anteriores".