Internacional Terrorismo sexual: Boko Haram usa estupros para impor seu domínio na Nigéria

Terrorismo sexual: Boko Haram usa estupros para impor seu domínio na Nigéria

Centenas de mulheres e meninas são mantidas prisioneiras pelo grupo no norte do país

Boko Haram é responsável pelo sequestro de centenas de mulheres e meninas na Nigéria

Boko Haram é responsável pelo sequestro de centenas de mulheres e meninas na Nigéria

BBC Brasil

Centenas de mulheres e meninas sequestradas pelo grupo terrorista Boko Haram foram estupradas, uma ou mais vezes, como parte de uma estratégia para dominar e subjugar os moradores da área rural onde os radicais atuam, no norte da Nigéria, e criar uma nova geração de militantes islâmicos extremistas.

De acordo com informações do jornal norte-americano, que cita fontes oficiais nigerianas, dúzias de vítimas ficam trancadas em casas, onde são mantidas como escravas sexuais dos membros do Boko Haram.

Em alguns casos, o objetivo principal do estupro é fazer com que as mulheres engravidem e possam dar à luz futuras gerações que serão criadas em meio ao pensamento radical do grupo.

'Esperávamos a morte todos os dias', diz refém do Boko Haram

Uma jovem de 25 anos, identificada apenas como Hamsatu, disse ao jornal que foi obrigada a se casar com um dos membros do Boko Haram e que estava grávida de quatro meses desse homem.

Ela contou ainda que, mesmo casada, foi obrigada a ter relações sexuais com outros membros do grupo.

O Boko Haram é um grupo terrorista que atua no norte da Nigéria. Eles ficaram conhecidos em todo o mundo em abril do ano passado, quando sequestraram mais de 200 estudantes de um colégio. As vítimas permanecem desaparecidas e acredita-se que elas também tenham sido abusadas sexualmente.

Últimas