Tigresa devoradora de gente é morta no sul da Índia

Felina teria matado pelo menos três pessoas

Escolas da região fecharam as portas devido os incidentes envolvendo a tigresa
Escolas da região fecharam as portas devido os incidentes envolvendo a tigresa AFP

Autoridades florestais no sul da Índia abateram a tiros uma tigresa, suspeita de ter devorado três pessoas, pondo um fim a três semanas de terror, que forçaram o fechamento de dezenas de escolas, anunciou a polícia nesta quinta-feira (23).

As autoridades avistaram e mataram a tigresa em uma plantação de chá no estado de Tamil Nadu, depois de tentar capturá-la com a ajuda de elefantes e cães farejadores, câmeras de detecção de movimentos e jaulas contendo carne como isca.

Na semana passada, a tigresa tinha matado uma mulher que trabalhava na plantação no distrito de Nilgiris — a terceira vítima desde 4 de janeiro —, levando 45 escolas e populares pontos turísticos da região a fechar as portas.

Índia faz caçada a tigre que matou sete pessoas

Moradores de cidade da Argentina matam tigre-de-bengala

"Na noite passada, avistamos o animal em uma área de floresta perto de uma cidade e tivemos que atirar", explicou à AFP o chefe de polícia de Nilgiris, Senthil Kumar, situando a área a 50 km da cidade de Coimbatore.

"Agora todos estão aliviados, tudo voltou ao normal. As escolas e os pontos turísticos também reabriram", continuou.

Segundo informes locais, o animal também tinha atacado e matado muitos animais, enfurecendo moradores locais que se uniram à caçada para matá-lo.

Buscas foram feitas no começo deste mês no outro extremo do país para encontrar um tigre que, acredita-se, tenha matado quatro pessoas no estado de Uttar Pradesh. Acredita-se que o animal tenha fugido de uma reserva de tigres vizinha.

Ambientalistas atribuem os incidentes mortais, ocasionalmente reportados na Índia, às cidades e vilarejos que invadem hábitats naturais dos tigres.

A Índia é lar de 1.700 tigres, a metade da população cada vez mais reduzida destes felinos no mundo, mas luta para conter o declínio destes animais, ameaçados pela caça ilegal, por redes internacionais de contrabando e pela perda de hábitat.

O país tem visto sua população de tigres desabar desde sua independência, em 1947, quando se estimava que existissem 40 mil destes grandes felinos.

Tigre ataca tratador diante do público em zoológico australiano

Fúria selvagem: homens são mutilados e devorados por animais