Coreia do Norte

Internacional Trem que pode ser de líder norte-coreano é visto em cidade turística

Trem que pode ser de líder norte-coreano é visto em cidade turística

A mídia estatal da Coréia do Norte noticiou pela última vez o paradeiro de Kim quando ele presidiu uma reunião em 11 de abril

Reuters
Kim Jong-un supervisiona lançamento de mísseis norte-coreanos em março de 2020

Kim Jong-un supervisiona lançamento de mísseis norte-coreanos em março de 2020

Yonhap via EFE-EPA - 2.3.2020

Um trem especial possivelmente pertencente ao líder norte-coreano Kim Jong-un foi visto esta semana em uma cidade turística do país, de acordo com imagens de satélite revisadas por um projeto de monitoramento da Coréia do Norte com sede em Washington, em meio a relatórios conflitantes sobre a saúde e paradeiro de Kim.

Leia mais: China envia médicos especialistas para acompanhar Kim Jong-un

O projeto de monitoramento, 38 North, disse em seu relatório neste sábado (25) que o trem estava estacionado na "estação de liderança" em Wonsan, nos dias 21 e 23 de abril. A estação está reservada para o uso da família Kim, afirmou.

Embora o grupo tenha dito que provavelmente era o trem de Kim Jong-un, a Reuters não conseguiu confirmar isso de forma independente ou se ele estava em Wonsan.

"A presença do trem não prova o paradeiro do líder norte-coreano nem indica nada sobre sua saúde, mas dá peso aos relatórios de que Kim está em uma área de elite na costa leste do país", afirmou o relatório.

As especulações sobre a saúde de Kim surgiram devido à sua ausência no aniversário do aniversário do pai fundador da Coréia do Norte e do avô de Kim, Kim Il Sung, em 15 de abril.

A mídia estatal da Coréia do Norte noticiou pela última vez o paradeiro de Kim quando ele presidiu uma reunião em 11 de abril.

A China enviou uma equipe para a Coréia do Norte, incluindo especialistas médicos para aconselhar Kim Jong Un, segundo três pessoas familiarizadas com a situação.

Líder hereditário de terceira geração que chegou ao poder após a morte de seu pai em 2011, Kim não tem um sucessor claro em um país com armas nucleares, o que poderia representar um grande risco internacional.

Na quinta-feira, o presidente dos EUA, Donald Trump, minimizou as notícias de que Kim estava doente. "Acho que o relatório estava incorreto", disse Trump a repórteres, mas se recusou a dizer se estava em contato com autoridades norte-coreanas.

Trump encontrou Kim três vezes, na tentativa de convencê-lo a desistir de um programa de armas nucleares que ameaça os Estados Unidos e seus vizinhos asiáticos. Embora as negociações tenham parado, Trump continuou a saudar Kim como amigo.

Relatórios e controles

Os relatórios de dentro da Coréia do Norte são notoriamente difíceis por causa de controles rígidos das informações.

Um funcionário do governo Trump disse que os dias de silêncio da mídia norte-coreana sobre o paradeiro de Kim aumentaram as preocupações com sua condição, e essas informações permanecem escassas de um país que a inteligência norte-americana há muito considera uma "caixa preta".

O Departamento de Estado dos EUA não respondeu imediatamente às perguntas sobre a situação no sábado.

O Daily NK, um site com sede em Seul que informa sobre a Coréia do Norte, citou uma fonte não identificada na Coréia do Norte na segunda-feira, dizendo que Kim havia sido submetido a tratamento médico no município de Hyangsan, ao norte da capital Pyongyang.

Ele disse que Kim estava se recuperando após um procedimento cardiovascular em 12 de abril.

Desde então, vários relatos da mídia sul-coreana citaram fontes não identificadas esta semana dizendo que Kim pode estar na área de Wonsan.

Na sexta-feira, a agência de notícias local Newsis citou fontes de inteligência sul-coreanas como informando que um trem especial para o uso de Kim havia sido visto em Wonsan, enquanto o avião particular de Kim permaneceu em Pyongyang.

Newsis informou que Kim pode estar se abrigando do COVID-19, a doença respiratória causada pelo novo coronavírus.

Kim, que acredita-se ter 36 anos, desapareceu da cobertura da mídia estatal norte-coreana antes. Em 2014, ele desapareceu por mais de um mês e a TV estatal norte-coreana mais tarde o mostrou andando mancando.

As especulações sobre sua saúde têm sido alimentadas pelo fumo intenso, pelo aparente ganho de peso desde que assumiu o poder e a história familiar de problemas cardiovasculares.

Últimas