Tribunal da Líbia sentencia 45 à morte por assassinatos em 2011

Ministério da Justiça disse acusação é relacionada aos assassinatos cometidos por forças leais ao ex-líder Muammar Gaddafi pouco antes de ele ser deposto

Em 2011, Libia se dividiu em campos rivais

Em 2011, Libia se dividiu em campos rivais

REUTERS/ Hani Amara

Uma corte de apelações da Líbia sentenciou nesta quarta-feira 45 pessoas à morte por pelotão de fuzilamento por conta de assassinatos cometidos na capital, Trípoli, durante um levante em 2011, de acordo com um comunicado do Ministério da Justiça.

O comunicado não dava detalhes sobre o caso, mas uma autoridade do Ministério da Justiça disse ser relacionado aos assassinatos cometidos por forças leais ao ex-líder líbio Muammar Gaddafi pouco antes de ele ser expulso de Trípoli e deposto.

Mais 54 pessoas foram sentenciadas a cinco anos de prisão pelos assassinatos de ao menos 20 pessoas, enquanto 22 pessoas foram absolvidas.

Advogados da defesa e parentes dos acusados estavam presentes para o veredicto, mas os réus não estavam no tribunal. Uma fotografia publicada pelo ministério mostrava dois guardas armados próximos a juízes vestidos de preto dentro do tribunal.

Acompanhe o noticiário internacional do R7

Não se sabe se outras sentenças de morte impostas na Líbia desde 2011, quando a Líbia se dividiu em campos rivais levando a anos de tumultos e conflito armado, foram cumpridas.

Em seu relatório anual mais recente, o grupo de direitos humanos Anistia Internacional descreveu o sistema judicial da Líbia como “disfuncional” e informou que muitos foram detidos desde 2011 sem fiscalização judicial ou meios de contestar a legalidade das detenções.