Trump com covid-19: o evento na Casa Branca que pode ter espalhado o coronavírus na cúpula do poder dos EUA

Pelo menos oito pessoas que compareceram a um evento cheio no sábado passado testaram positivo

    • Internacional
    • por
      BBC NEWS BRASIL

Com a confirmação de que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a primeira-dama, Melania Trump, testaram positivo para o coronavírus, começaram as dúvidas sobre como teriam sido expostos ao vírus.

Um evento lotado no Rose Garden, na Casa Branca, está sob foco intenso — a cerimônia em 26 de setembro, quando Trump anunciou formalmente sua nomeação da conservadora Amy Coney Barrett para a Suprema Corte.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), normalmente leva cerca de cinco a seis dias para que os sintomas apareçam após uma pessoa contrair o vírus.

As imagens do evento mostraram poucos participantes usando máscaras e os assentos não estavam separados por dois metros. Alguns convidados se cumprimentara batendo os punhos, enquanto outros apertavam as mãos ou até se abraçavam.

Oito pessoas que compareceram à cerimônia já testaram positivo para coronavírus — embora não esteja claro exatamente onde e quando contraíram o vírus. Além do presidente e da primeira-dama:

O ex-governador de Nova Jersey Chris Christie anunciou no sábado (03/10) que contraiu o vírus.

Kellyanne Conway, que renunciou ao cargo de conselheira sênior de Trump em agosto, confirmou na sexta-feira (02/10) que testou positivo.

Mike Lee, senador republicano de Utah, confirmou seu teste positivo pelo Twitter, assim como o senador da Carolina do Norte Thom Tillis.

A Universidade de Notre Dame confirmou que seu presidente, o reverendo John Jenkins, também tem covid-19.

Um jornalista que não foi identificado e que compareceu ao evento também contraiu o vírus, segundo a Associação de Correspondentes da Casa Branca.

O procurador-geral Bill Barr cumprimenta convidados, incluindo Chris Christie (com gravata rosa), ex-governador de Nova Jersey

O procurador-geral Bill Barr cumprimenta convidados, incluindo Chris Christie (com gravata rosa), ex-governador de Nova Jersey

Getty Images

Trump e a esposa testaram positivo depois que a diretora de comunicação do presidente, Hope Hicks, contraiu o vírus. Ela não compareceu ao evento no Rose Garden.

As diretrizes publicadas pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) recomendam seis pés de distância entre as pessoas fora de sua casa (aproximadamente 2m) e cobrir nariz e boca quando outras pessoas estão ao seu redor.

Dezenas de parlamentares, familiares e funcionários da Casa Branca estiveram no evento. Aqueles que tiveram teste positivo estavam sentados nas primeiras filas da plateia.

As pessoas que testaram positivo estavam sentadas nas primeiras filas da plateia

As pessoas que testaram positivo estavam sentadas nas primeiras filas da plateia

Getty Images/BBC

Reuniões com mais de 50 pessoas estão proibidas segundo as regras de Washington, DC durante a pandemia de coronavírus — no entanto, propriedades federais, como a Casa Branca, são isentas.

O jornal Washington Post relatou que as autoridades deixaram os esforços de rastreamento de contatos para o governo Trump. Um funcionário do gabinete do prefeito Muriel Bowser disse ao jornal que, se todas as oito pessoas tivessem sido infectadas no evento, seria um dos incidentes de maior disseminação na comunidade que a capital americana já experimentou.

A vereadora Brooke Pinto disse ao Washington Post que foi "decepcionante que a Casa Branca tenha se gabado de não usar máscaras e reunir grandes multidões".

"Isso não é apenas uma mensagem perigosa para o país, mas é uma ameaça direta aos nossos esforços para diminuir a disseminação em DC", disse ela.

Parte do evento também aconteceu em ambiente interno. Um repórter da CNN publicou no Twitter uma foto de pessoas dentro da Casa Branca.

Parte do evento também aconteceu dentro da Casa Branca

Parte do evento também aconteceu dentro da Casa Branca

Getty Images

O presidente ficou ao lado de Amy Coney Barrett enquanto ela fazia seu discurso. Ela testou negativo na sexta-feira, de acordo com um porta-voz da Casa Branca.

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, e sua esposa Karen também tiveram resultado negativo. Na cerimônia, Pence sentou-se do outro lado do corredor em relação a Melania Trump.

O procurador-geral William Barr estava sentado na mesma fileira que o vice-presidente. Um porta-voz do Departamento de Justiça anunciou na sexta-feira que o teste de Barr tinha resultado negativo.

Segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, 7,4 milhões de pessoas nos EUA contraíram o vírus, o número mais alto do mundo. O país também tem o maior número de mortos, com mais de 209 mil pessoas.