Trump culpa democratas por situação de centros de imigrantes

Presidente dos EUA defendeu uso dos centros de detenção e disse que quase todos funcionam 'perfeitamente', apesar de denúncia em relatório oficial

Trump defendeu uso de centros de detenção de imigrantes

Trump defendeu uso de centros de detenção de imigrantes

Kevin Lamarque/ Reuters - 12.6.2019

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, culpou nesta sexta-feira (5) a oposição democrata pela piora das condições nos centros de detenção para imigrantes ilegais no país, mas disse que quase todos funcionam "perfeitamente", apesar dos problemas revelados em um relatório oficial.

"(Os centros de detenção) estão abarrotados, porque os democratas não querem nos dar nenhum tipo de alívio a respeito das lacunas (no sistema de imigração)", disse Trump a jornalistas na Casa Branca, antes de decolar para Bedminster, no estado de Nova Jersey, para passar o fim de semana.

Trump insistiu em defender esses centros apesar das críticas que receberam por causa de um relatório governamental e após a visita a dois deles nesta semana no Texas de alguns congressistas democratas, entre eles Alexandria Ocasio-Cortez e Joaquín Castro.

"Vi alguns desses lugares e são administrados perfeitamente. Estão limpos, estão bem, eles fazem um grande trabalho", afirmou o presidente.

"Acredito que certos membros do Congresso trataram muito mal a Patrulha de Fronteira", acrescentou Trump, em aparente referência a Ocasio-Cortez e Castro.

Trump alegou que esses agentes migratórios "não estão formados para serem médicos, enfermeiros, nem responsáveis pela limpeza".

Como já fez em seus tweets na quarta-feira, Trump voltou a argumentar que a melhor solução para a superlotação nos centros de detenção é dizer aos imigrantes ilegais "que não venham, porque é ilegal".

Após uma visita aos centros no Texas, Ocasio-Cortez denunciou que vários imigrantes detidos se queixaram de serem alvos de maus tratos por parte dos guardas, e que muitos deles bebiam água dos vasos sanitários por falta de acesso a outra fonte de hidratação.

Além disso, um relatório do escritório do Inspetor Geral do Departamento de Segurança Nacional (DHS, na sigla em inglês) advertiu esta semana para as condições de superlotação, longas estadias e riscos para a saúde nos centros da Patrulha de Fronteira no sul do Texas.

Além disso, algumas organizações de advogados lamentaram que os menores imigrantes detidos em Clint (Texas) permanecem em condições insalubres, sem fraldas para os bebês, sem sabão, roupas limpas, escovas de dentes, nem comida adequada.

Ao ser perguntado sobre sua ameaça de realizar operações maciças contra os imigrantes ilegais no país a partir de 4 de julho, Trump não se referiu a nenhuma operação iminente, mas disse que essas atividades começariam "em breve" e que, em alguns casos, já estão acontecendo.

No sábado, Trump garantiu que depois do feriado pelo Dia da Independência, celebrado ontem, deportaria "grandes quantidades de pessoas" se não chegasse antes a um acordo com o Congresso para reformar o sistema de asilo, algo que não aconteceu.

No final de junho, Trump anunciou que o governo realizaria operações maciças contra famílias de imigrantes ilegais em dez cidades do país, mas por fim afirmou que tinha decidido suspender a operação para dar oportunidade aos democratas de negociar com ele os temas migratórios.