Novo Coronavírus

Internacional Trump dá negativo para covid-19 após assistente ser infectado

Trump dá negativo para covid-19 após assistente ser infectado

Presidente e vice foram testados depois de serem informados de resultado de membro das Forças Armadas. Caso não é o primeiro no escritório

  • Internacional | Da EFE

Trump é novamente testado para covid-19

Trump é novamente testado para covid-19

Jonathan Ernst / Reuters - 20.4.2020

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deu negativo em teste para covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, que infectou um de seus assistentes pessoais, segundo informou nesta quinta-feira (7) a Casa Branca.

"Fomos recentemente notificados pela Unidade Médica da Casa Branca de que um membro das Forças Amadas dos EUA, que trabalha na Casa Branca, deu positivo para o coronavírus", disse Hogan Gidley, porta-voz adjunto da presidência, em uma declaração.

"Desde então, o presidente e o vice-presidente (Mike Pence) voltaram a ser submetidos a testes e deram negativo. Ambos estão bem de saúde", afirmou Gidley.

A informação foi revelada pela emissora CNN, e diz que o presidente foi notificado ontem que seu assistente testou positivo para o novo coronavírus.

Assistentes pessoais fazem parte de unidades militares de elite destacadas na Casa Branca e geralmente trabalham em estreita colaboração com o presidente e a primeira-dama.

Este não é o primeiro caso na residência oficial, pois em março um dos conselheiros do vice-presidente deu positivo para a covid-19.

Trump e Pence são submetidos a testes semanais de coronavírus, assim como funcionários que trabalham diariamente com eles.

Coronavírus nos EUA

Ontem, os EUA chegaram a 1.227.430 casos confirmados do novo coronavírus e 73.095 mortes, de acordo com uma contagem independente da Universidade John Hopkins.

O saldo provisório de mortos permanece abaixo das estimativas iniciais da Casa Branca, que projetavam, na melhor das hipóteses, entre 100 mil e 240 mil mortes; mas já superou os cálculos mais otimistas feitos pelo presidente Trump, que era entre 50 mil e 60 mil mortes.

Últimas