Trump exige que Irã respeite protestos: "O mundo está de olho"

Em tweet escrito tanto em inglês como em farsi, presidente dos EUA expressou apoio às manifestações deste sábado em Teerã

Iranianos protestam contra o governo após admissão de culpa por queda de avião

Iranianos protestam contra o governo após admissão de culpa por queda de avião

Abedin Taherkenareh / EFE-EPA - 11.1.2020

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, exigiu neste sábado (11) que o Irã permita a continuidade dos protestos no país e advertiu que não pode ocorrer "outro massacre de manifestantes pacíficos nem cortes de internet".

"O governo do Irã precisa permitir que grupos de direitos humanos monitorem e relatem fatos dos protestos do povo iraniano. Não pode haver outro massacre de manifestantes pacíficos nem cortes de internet. O mundo está de olho", afirmou no Twitter.

Leia também: Irã tem protestos contra o governo por 'mentir' sobre queda de avião

Trump se referiu aos protestos que começaram em novembro do ano passado, após o aumento do preço da gasolina. Os tumultos gerados já deixaram pelo menos 304 mortos e milhares de feridos, de acordo com a Anistia Internacional. Para conter a organização dos protestos, o governo bloqueou o acesso à internet por seis dias.

Em tweet escrito tanto em inglês como em farsi, Trump expressou apoio aos protestos deste sábado em Teerã, onde centenas de pessoas soltaram a voz contra o regime e a Guarda Revolucionária.

"Ao valente povo do Irã, que sofre há muito tempo: tenho estado ao seu lado desde o início da minha presidência, e meu governo continuará com vocês. Estamos acompanhando seus protestos de perto, inspirados pela sua coragem", tuitou.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, também falou sobre o assunto nas redes sociais, postando um vídeo que parece mostrar os protestos de centenas de iranianos em Teerã neste sábado. Na gravação, os manifestantes gritam contra o governo iraniano e a Guarda Revolucionária.

"A voz do povo iraniano é clara. Eles estão fartos das mentiras do regime, da corrupção, da inaptidão e da brutalidade da Guarda Revolucionária sob a cleptocracia de Ali Khamenei (líder supremo do país). Estamos do lado do povo iraniano, que merece um futuro melhor", escreveu Pompeo.