Trump muda postura e agora afirma que usar máscara é 'patriótico'

O presidente dos EUA voltou a culpar a China pelo que chamou de 'vírus invisível' e declarou que não há ninguém mais patriótico que ele

Trump postou nesta segunda-feira (20) uma foto usando máscara

Trump postou nesta segunda-feira (20) uma foto usando máscara

Reprodução/Twitter

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (20) que usar máscaras em meio à pandemia do novo coronavírus é um ato "patriótico". A declaração contrasta com seu ceticismo inicial e representa uma mudança de estratégia por parte do político.

"Estamos unidos em nosso esforço para derrotar o vírus invisível da China, e muitas pessoas dizem que é patriótico usar uma máscara quando não se pode fazer distanciamento social. Não há ninguém mais patriótico do que eu, seu presidente favorito", disse Trump no Twitter.

Trump aparece em público pela primeira vez com máscara

O presidente estadunidense, que voltou a culpar a China pela pandemia, acrescentou à mensagem uma foto em preto e branco que o mostra usando uma máscara.

Essa foto corresponde à visita de Trump em 11 de julho ao hospital militar Walter Reed, nos arredores de Washington, onde ele apareceu em público pela primeira vez usando máscara desde o início da pandemia.

Na ocasião, o presidente disse que as máscaras "têm um tempo e um lugar adequado" e que ele concordou em usá-la porque estava visitando um hospital, mas não revelou se continuaria a usá-las em outras circunstâncias.

Trump tem sido amplamente criticado por resistir a usar proteção para dar o exemplo a muitos de seus apoiadores, que acreditam que, quando são forçados a usá-la, sua liberdade individual está sendo violada.

Em termos absolutos, os Estados Unidos continuam sendo o país mais afetado pela pandemia, com mais de 3,8 milhões de casos e mais de 140,8 mil mortes, de acordo com a contagem independente da Universidade Johns Hopkins.

Além disso, o número de casos se multiplicou nas últimas semanas em estados do sul e do oeste dos Estados Unidos, e alguns hospitais ficaram no limite de sua capacidade.

Trump recusou-se a delinear uma estratégia nacional para lidar com o vírus e recebeu muitas críticas, refletidas nos resultados das pesquisas para as eleições de novembro, nas quais ele concorrerá à reeleição e deve enfrentar o democrata Joe Biden, que aparece nove pontos percentuais à frente do mandatário em número de intenções de voto, de acordo com a média elaborada pelo site "Real Clear Politics".

Dada esta situação, parece que Trump quer mudar a estratégia contra a covid-19. Hoje mesmo, ele anunciou que voltará a conceder entrevistas coletivas diárias para informar sobre a situação do coronavírus.

No início da pandemia, o presidente e outros membros do governo realizaram entrevistas todos os dias para informar sobre a evolução da pandemia, mas esses eventos foram interrompidos há três meses, quando alguns estados começaram a reabrir suas economias