Trump suspende sanções comerciais contra a Turquia

Decisão se dá por 'cessar-fogo permanente' na Síria. Presidente dos EUA havia imposto restrições financeiras a ministros do governo turco

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

REUTERS/Tom Brenner/23.10.2019

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira (23) a suspensão das sações previamente impostas contra a Turquia no último dia 14 de outubro.

O presidente americano havia imposto restrições financeiras a três ministros do governo turco por conta da ofensiva de Ancara no nordeste da Síria. À ocasião, Trump declarou que o decreto autorizaria "uma ampla gama de consequências, incluindo sanções financeiras, o bloqueio de bens e a proibição de entrada nos Estados Unidos". 

A decisão desta quarta-feira se dá porque, de acordo com o presidente, seu governo estabeleceu com a Turquia um "cessar-fogo permanente" na Síria. 

"Nesta manhã, o governo da Turquia informou à minha administração que irá interromper os combates e tornar permanente o cessar-fogo. Este é um resultado criado pelos Estados Unidos, e não por outra nação", disse Trump, em clara referência à Rússia, durante uma declaração à imprensa na Casa Branca.

Zona de segurança

Na terça-feira (22), os presidentes da Turquia, Recep Tayiip Erdogan, e da Rússia, Vladimir Putin, já haviam anunciado um acordo para a criação de uma "zona de segurança" na região nordeste da Síria. Com isso, tropas dos dois países irão vigiar uma faixa de 29 quilômetros ao longo da fronteira turco-síria.

Pelo acordo, os soldados curdos que controlavam a região até o início deste mês — quando presidente Donald Trump anunciou a retirada de suas tropas que prestavam apoio logístico aos curdos —, deverão abandonar essa faixa em até 150 horas a partir do meio dia de quarta-feira (6h no horário de Brasília)