Internacional Turquia ordena prisão de 249 funcionários públicos

Turquia ordena prisão de 249 funcionários públicos

Cerca de 77 mil pessoas já foram presas e aguardam julgamento desde 2016. Outros 150 mil funcionários públicos foram afastados de seus cargos

Manifestações contra o golpe fracassado em 2016

Manifestações contra o golpe fracassado em 2016

DENIZ TOPRAK/EFE - 19.7.2016

O governo da Turquia autorizou a prisão de 249 funcionários do Ministério das Relações Internacionais por suposto envolvimento com o golpe de estado fracassado que aconteceu em 2016.

Até o momento, ao menos 106 pessoas já foram detidas em outras 42 províncias em todo o país. Segundo a Agência Anadolu, procuradores de Ancara descobriram fraudes nos exames de admissão para o Ministério.

Desde o golpe fracassado, as autoridades turcas alegam que existem membros do movimento Gülen infiltrados em instituições do governo. O movimento leva esse nome por conta do clérigo Fethullah Güllen que é acusado de liderar o golpe. Güllen vive em um auto exílio nos Estados Unidos desde 1999.

Cerca de 77 mil pessoas já foram presas e aguardam julgamento desde 2016. Outros 150 mil funcionários públicos foram afastados dos seus postos de trabalho.

Grupos de direitos humanos alegam que o presidente Recep Tayyip Erdogan usa o golpe como desculpa para anular a oposição. O governo se defende dizendo que essas ações são necessárias para garantir a segurança da Turquia.