Tweets de Trump podem estar perdendo impacto, segundo análise

Rede social é meio preferido de presidente para se comunicar e expressar opiniões, porém, número de interações com cada postagem está caindo

Interação com tweets de Trump está em queda

Interação com tweets de Trump está em queda

Leah Millis/ Reuters - 22.5.2019

A taxa de interação dos tweets publicados pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, está diminuindo, o que pode ser um indício de que estão perdendo efetividade, segundo um estudo divulgado nesta segunda-feira (27).

Uma análise da conta do Twitter de Trump - seu canal preferido para se comunicar com seus apoiadores, informar ou expressar suas opiniões sobre diferentes situações - indicou uma queda da taxa de interação, que é o resultado de divisão do número de retweets e curtidas de cada mensagem pelo número de seguidores.

Dessa forma, segundo o site do jornal "The Hill", que cita os dados da empresa CrowdTangle, a taxa de interação do governante passou de 0,55% em novembro de 2016 a 0,32% em junho de 2017 e foi de 0,16% no último sábado.

Os resultados, divulgados inicialmente pelo portal "Axios", mostram, por exemplo, que desde 1º de abril o presidente escreveu 54 vezes "sem conspiração", 30 vezes "sem obstrução", 20 vezes "caça às bruxas", assim como "democratas" e "democratas irados", entre outros termos.

O site "The Hill" afirmou, citando a análise, que, embora o panorama geral aponte que as interações do presidente americano tenham aumentado recentemente (21%), seu número de seguidores cresceu em uma porcentagem maior (110%).

Por essa razão, a previsão é que maio está prestes a se transformar no mês com a interação no Twitter mais baixa para Trump desde janeiro de 2016, quando ele ainda não estava na presidência.

O estudo observou também que Trump está escrevendo mais no Twitter: das 157 mensagens ao mês que publicava em seus primeiros seis meses na Casa Branca, passou para 284 mensais.

Além disso, a análise mostrou que as mensagens políticas não são as únicas que renderam grandes interações. Os tweets de Natal e o "Bom dia, tenha um excelente dia" que divulgou pouco depois de saber do relatório do promotor especial Robert Mueller sobre a investigação da suposta ingerência russa nas eleições americanas de 2016 conquistaram os seguidores do presidente.