Twitter faz checagem de publicação de Trump pela primeira vez 

Notificação estimula os leitores a 'revisarem os fatos' comentados pelo presidente, que especulou sobre fraude nas eleições dos EUA

Twitter incentiva que usuários chequem informações de Trump

Twitter incentiva que usuários chequem informações de Trump

Reprodução / Twitter

O Twitter incentivou, nesta terça-feira (26), usuários a checarem os fatos em publicações feitas pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alertando que suas afirmações sobre votos por correspondências eram falsas e haviam sido desmascaradas por checagens de fatos.

A notificação em forma de ponto de exclamação estimula os leitores a "revisarem os fatos sobre votos por correspondência" e os dirige a uma página com artigos noticiosos e informações sobre as afirmações reunidas por equipes do Twitter.

"Trump faz uma afirmação infundada de que votos por correspondência levarão à fraude eleitoral", diz uma das manchetes, seguida por uma seção com o título "O que você precisa saber" corrigindo três afirmações enganosas ou falsas contidas nos tuítes do presidente norte-americano.

Trump tuitou sobre 'eleição fraudulenta'

Trump afirmou no Twitter mais cedo que os votos por correspondência seriam "substancialmente fraudulentos" e resultariam em uma "eleição manipulada". Ele também escolheu apontar para o governador da Califórnia sobre o assunto, embora o Estado não seja o único que aceita votos por correspondência.

Essa foi a primeira vez que o Twitter aplicou um rótulo de checagem de fatos em um tuíte feito por Trump, em uma extensão de sua nova política de "informações enganosas" incluída neste mês para combater a desinformação sobre o coronavírus.

A empresa havia dito na época que depois estenderia sua política sobre informações contestadas ou enganosas sobre a Covid-19 para outros assuntos.