Internacional Ucrânia protocola ação no Tribunal de Haia contra a Rússia

Ucrânia protocola ação no Tribunal de Haia contra a Rússia

A Corte Internacional de Justiça é a mais alta do mundo para resolver reclamações legais entre Estados por supostas violações do direito internacional

AFP
"A Rússia deve ser responsabilizada por manipular a noção de genocídio", afirma Zelenski

"A Rússia deve ser responsabilizada por manipular a noção de genocídio", afirma Zelenski

Handout/Ukraine Presidency/AFP - 24.02.2022

A Ucrânia protocolou ação contra a Rússia no Tribunal Internacional de Justiça, para que sua jurisdição ordene a Moscou que cesse as hostilidades contra o país vizinho, segundo informação dada pelo presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, neste domingo (27).

"A Rússia deve ser responsabilizada por manipular a noção de genocídio para justificar uma agressão", declarou Zelenski em um tuíte.

"Pedimos uma decisão urgente que ordene à Rússia cessar sua atividade militar, e esperamos que as audiências comecem na próxima semana", acrescentou.

A Corte Internacional de Justiça, com sede em Haia, na Holanda, não é obrigada a apresentar acusações criminais contra os líderes russos que estão por trás da invasão da Ucrânia, que começou na manhã da quinta-feira (24).

Mas é a mais alta corte do mundo para resolver reclamações legais entre Estados por supostas violações do direito internacional. O tribunal é a instituição judicial suprema das Nações Unidas.

O Kremlin justificou sua operação de "desmilitarização" da Ucrânia com o argumento de que se tratava de uma tentativa de impedir a suposta perseguição à minoria russa do país vizinho.

A comunidade internacional condenou repetidamente a invasão por considerá-la uma violação flagrante do direito internacional.

Invasão da 2ª maior cidade

Tropas russas entraram em Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, no noroeste do país, neste domingo (27). Houve disparos de metralhadoras, explosões de foguetes e combates de rua no município, informou um jornalista da AFP.

O repórter descobriu que os restos de um carro blindado militar russo estavam queimando em uma rua, e que vários outros veículos haviam sido abandonados. A cidade estava deserta, pois seus habitantes estão abrigados em suas casas.

Últimas