Internacional UE e Reino Unido punem russos por envenenamento de Navalny

UE e Reino Unido punem russos por envenenamento de Navalny

Seis autoridades apontadas como responsáveis pela tentativa de assassinato contra o opositor russo em agosto sofreram sanções em território europeu

Reuters
Um dos principais opositores de Putin, Navalny foi envenenado em agosto

Um dos principais opositores de Putin, Navalny foi envenenado em agosto

Shamil Zhumatov / Reuters - Arquivo

A União Europeia e o Reino Unido impuseram sanções a autoridades russas de alto escalão próximas do presidente Vladimir Putin nesta quinta-feira (15), uma reação inesperadamente robusta e rápida ao envenenamento de Alexei Navalny, um dos principais nomes da oposição na Rússia, em agosto.

Leia também: 'Putin está possuído pela ideia de envenenamentos', diz Navalny

Pressionados pela França e a Alemanha, onde Navalny foi tratado depois de desmaiar em um voo saído da Sibéria, a UE e o Reino Unido visaram seis russos e um centro de pesquisa científica estatal.

O Kremlin repudiou as sanções, que considerou um passo deliberado e hostil contra Moscou, e prometeu retaliar.

Punição rápida

À diferença do envenenamento de Sergei Skripal, um ex-espião russo que vivia no Reino Unido em 2018, quando a UE levou quase um ano para punir agentes de inteligência militar, o bloco mirou autoridades que acredita terem planejado e ajudado a realizar o envenenamento.

Apesar da saída britânica da UE, Londres continua coordenando algumas sanções com o bloco, em parte para impedir que seus alvos transfiram suas posses, disseram diplomatas. As punições incluem congelamento de bens e a proibição de que eles entre nos territórios europeu e britânico.

Andrei Yarin, chefe do diretório de diretrizes presidenciais, Sergei Kiriyenko, primeiro vice-chefe de gabinete de Putin, Sergei Menyaylo, enviado de Putin à Sibéria, Alexander Bortnikov, diretor do Serviço Federal de Segurança da Rússia e dois vice-ministros da Defesa foram punidos.

França e Alemanha informaram que não receberam uma explicação crível de Moscou depois que a Organização para a Proibição de Armas Químicas encontrou o que disse ser o agente nervoso Novichok no corpo de Navalny.

Últimas