União Europeia espera ter fronteiras externas abertas em julho

Existe um consenso entre os Estados-Membros quanto à necessidade de abrirem, primeiramente, as fronteiras internas e, depois, as externas

União Europeia deve abrir fronteiras externas em julho

União Europeia deve abrir fronteiras externas em julho

Stephanie Lecocq/EFE - 06.03.2019

A CE (Comissão Europeia) está confiante de que a UE (União Europeia) poderá começar a abrir suas fronteiras externas a partir de julho, depois de concluir até o final deste mês a suspensão das restrições internas entre os Estados-Membros.

"O próximo grande desafio será como proceder com as restrições nas fronteiras externas da UE. Existe um forte consenso entre os Estados-Membros quanto à necessidade de que primeiro precisamos abrir internamente e depois passar para as fronteiras externas", afirmou nesta sexta-feira 95), a comissária do Interior, Ylva Johansson, no final de uma videoconferência com ministros do Interior da UE.

Ela lembrou que a recomendação de Bruxelas relativa às restrições a viagens não essenciais para países terceiros terminará no próximo dia 15 e acrescentou que "quase todos os estados-membros expressaram forte preferência, hoje, por estender esse período".

"Entendo que as fronteiras internas serão levantadas no final do mês e que iremos considerar a suspensão gradual de restrições de viagem não essenciais à UE no início de julho", afirmou.

Ylva Johansson acrescentou que a Comissão planeja trabalhar estreitamente com os países nos próximos dias "para uma boa coordenação" na suspensão das fronteiras externas, como foi feito com as fronteiras internas, e que Bruxelas está preparando uma comunicação para esse efeito, que será adotada na próxima semana.

"Pessoalmente, acho que retornaremos a um Espaço Schengen totalmente operacional, com livre circulação de cidadãos, até o final de junho", disse.

Medidas ainda necessárias

A comissária valorizou a convergência entre os países em relação à situação epidemiológica, mas alertou que não se pode baixar a guarda e precisará manter, por exemplo, a distância física.

"Ainda são necessárias medidas, mas não há justificativa clara para restrições de viagem ou de fronteira", afirmou.

Nos últimos dias, países como Alemanha e França anunciaram que suspenderão as restrições em suas fronteiras internas a partir do próximo dia 15.

Outros, como a Itália, já abriram suas fronteiras com os países da União Europeia.