Coronavírus

Internacional Universidade nos EUA vai multar alunos que não se vacinarem

Universidade nos EUA vai multar alunos que não se vacinarem

Quantia equivalente a R$ 3,9 mil será usada para pagar testes e outras medidas de proteção contra a covid-19 na instituição

Alunos também pagarão taxa se testarem positivo e precisarem fazer quarentena no campus

Alunos também pagarão taxa se testarem positivo e precisarem fazer quarentena no campus

Picryl

A Universidade Wesleyan, da Virgínia Ocidental (EUA), anunciou nesta semana que irá cobrar uma multa de US$ 750 (cerca de R$ 3,9 mil) de cada aluno que não se vacinar contra a covid-19 antes do semestre letivo que começará em setembro.

Leia também: Variante Delta leva internações nos EUA a nível mais alto em 6 meses

A quantia será cobrada dos estudantes que não apresentarem uma prova de vacinação ou de primeira dose tomada até o dia 7 de setembro, anunciou a universidade em seu site oficial.

A instituição, que fica na cidade de Buckhannon, também escreveu em seu guia para o novo semestre que os alunos que se contaminarem com o coronavírus e não puderem fazer a quarentena fora do campus terão de pagar US$ 250 (cerca de R$ 1,3 mil) para ficar em uma das residências estudantis.

"As multas vão ser usadas para cobrir os gastos que virão do aumento de testes e outros recursos sanitários que a universidade terá de utilizar para mantes todos os outros alunos seguros", explicou o reitor James Moore.

Estudantes, professores e funcionários que não se vacinarem terão de usar máscaras e manter distanciamento social em locais fechados, completou ele. Além disso, alunos não-vacinados deverão fazer um teste de covid-19 semanalmente.

Últimas