Venezuela denuncia vandalismo em consulado em Bogotá à ONU

Segundo o Ministro das Relações Exteriores, Jorge Arreaza, a Colômbia violou a Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas e Consulares

Ministro de Relações Exteriores, Jorge Arreaza, disse que consulado foi saqueado

Ministro de Relações Exteriores, Jorge Arreaza, disse que consulado foi saqueado

Andrew Kelly / Reuters - 12.2.2019

A Venezuela recorrerá ao Secretário Geral das Nações Unidas, António Guterres, para denunciar um saque em seu consulado em Bogotá, fechado em 2019 após a ruptura com a Colômbia, denunciou nesta terça-feira (28), o Ministro de Relações Exteriores venezuelano, Jorge Arreaza.

Leia mais: Maduro manda fechar embaixada e consulados da Venezuela nos EUA

"O presidente Nicolás Maduro nos instruiu para apresentar esta queixa ao Secretário Geral das Nações Unidas, como fizemos na época ao denunciar a violação e a apreensão de nossas instalações diplomáticas em Washington", declarou o ministro em comunicado.

Arreaza denunciou que o Estado colombiano viola as normas da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas e Consulares de forma flagrante e ataca a Venezuela por ter feito parte do saque ou, no mínimo, ter se omitido diante do ocorrido.

O artigo 45 de tal convenção estabelece que, em caso de violação das relações diplomáticas, o Estado receptor será obrigado a respeitar e proteger, mesmo em caso de conflito armado, as instalações da missão, bem como seus bens e arquivos.

"Vandalizaram tudo"

"Não só houve uma incursão violenta, eles vandalizaram tudo, até quebraram as janelas, os vidros, roubaram material valioso dos arquivos dos venezuelanos residentes na Colômbia", disse o ministro.

Ele pediu que a Colômbia aja em relação ao caso e reclamou que apenas nesta segunda a polícia diplomática foi à sede do consulado para fazer uma busca e abrir uma investigação.

"Espero que encontrem os responsáveis por ação e que os responsáveis por omissão, ou seja, o Estado colombiano, respondam por suas obrigações internacionais e de alguma forma compensem o Estado venezuelano por permitir tais atos de vandalismo", afirmou.

Arreaza mostrou imagens do consulado colombiano em Caracas nas quais o espaço não tem qualquer dano aparente. "Protegido e cuidado", classificou.

Por fim, ele acrescentou que a Venezuela se reserva qualquer medida na ordem dentro do critério de reciprocidade, mas, segundo ele, dentro da legalidade e da civilidade.

O casarão que sedia o consulado venezuelano em Bogotá sofreu sérios danos. O chão ficou coberto de lixo, há vidros quebrados, e pedaços de armários foram saqueados, como visto pela reportagem da Agência Efe. Além disso, documentos diplomáticos foram vistos jogados, incluindo cartas de solicitação, assim como faturas e até mesmo uma árvore de Natal deitada em uma sala.