Internacional Indígenas da Oceania lamentam a morte do príncipe Philip

Indígenas da Oceania lamentam a morte do príncipe Philip

Por décadas, duas aldeias de Vanuatu, Yaohnanen e Yakel, veneravam o monarca como uma divindade

Indígenas de Vanuatu, um país na Oceania que integra a Commonwealth — comunidade que reúne 54 Estados independentes com ligações históricas com a Inglaterra — sentiram profundamente a morte do príncipe Philip, aos 99 anos, na última sexta-feira (9). Por décadas, duas aldeias, Yaohnanen e Yakel veneravam o monarca como uma divindade.

"Só quero informar que o príncipe Philip esteve com a gente durante toda a nossa vida", afirmou o chefe da vila de Yaohnanen, Jack Malia. "Falamos dele, mas não chegamos a vê-lo. Só temos essas fotos. Depois recebemos e-mails. Nunca tive a chance de encontrar com ele. Se o príncipe Charles concordar em vir algum dia, então ele deve vir aqui para que possamos sentar juntos e conversar."

Os chefes de ambas as aldeias se reuniram para discutir a morte do monarca e as etapas de sucessão. Eles aguardam a visita do príncipe Charles, mas não sabem se o movimento religioso vai passar a venerar agora Charles, William ou Harry.

Últimas