Internacional Lava do vulcão Cumbre Vieja corta a terra em rios incandescentes

Lava do vulcão Cumbre Vieja corta a terra em rios incandescentes

Erupção teve início em 19 de setembro e especialista consideram que fenômeno deve demorar para acabar

Ao que tudo indica um cenário que está longe de desaparecer na ilha espanhola de La Palma, localizada no arquipélago das Canárias.

Os especialistas, que vigiam a erupção iniciada em 19 de setembro, alertam que o fenômeno não deve acabar em curto ou médio prazo.

A poucos dias de cumprir quatro semanas da atividade do vulcão no próximo domingo, a lava continuava descendo sem parar.

O fenômeno não deixou vítimas, mas cobriu 640 hectares da ilha e destruiu mais de 1.400 edificações, 764 delas casas.

Aproximadamente 6.000 pessoas tiveram de ser deslocadas na ilha de 85.000 habitantes, das quais várias perderam tudo para o magma.

O aeroporto de La Palma, que precisou fechar duas vezes devido à nuvem de cinzas, se manteve funcionando.

Previsões meteorológicas estimam que as pistas continuarão operando com normalidade ao menos nos próximos três dias.

Últimas