Vietnã tenta conter novo surto com evacuação de 80 mil turistas

Após registrar 15 casos por transmissão comunitária em cidade litorânea, governo anuncia evacuação em massa de visitantes e reforça medidas

Turistas aguardam voos para sair de Da Nang após governo anunciar evacuação

Turistas aguardam voos para sair de Da Nang após governo anunciar evacuação

Stringer via EFE / EPA - 27.7.2020

O Vietnã, um dos poucos países do mundo que ainda não registraram mortes por conta do novo coronavírus, voltou a entrar em alerta após o ressurgimento da covid-19. No total, 15 casos de transmissão comunitária foram registrados no fim de semana, após 99 dias com apenas infecções 'importadas".

Leia também: Coronavírus: como o Vietnã salvou o 'paciente 91' após 68 dias com respirador e manteve país sem mortes por covid-19

O surto foi detectado na cidade turística de Da Nang. Nesta segunda-feira (27), o governo vietnamita anunciou a evacuação de 80 mil turistas que estão no local, na maioria cidadãos do país. A operação deve levar pelo menos 4 dias e envolver 100 voos diários para 11 cidades diferentes.

O Vietnã se destacou como exemplo de combate à pandemia do coronavírus e, desde janeiro, adotou medidas como o uso obrigatório de máscara em público, o fechamento de escolas e estabelecimentos não-essenciais e a proibição de reuniões com mais de 30 pessoas, além de fechar a fronteira com a China.

Foco no litoral

No foco de Da Nang, uma cidade costeira conhecida por seus resorts, o primeiro caso foi confirmado no sábado, um homem de 57 anos que está em estado crítico. No domingo, foram confirmados outros três casos.

Nesta segunda, as autoridades confirmaram outros 11 casos de covid-19 em Da Nang, incluindo quatro funcionários de um hospital de Da Nang, que já estava isolado desde sexta-feira, quando surgiram o primeiro paciente foi internado.

Os voos que irão evacuar os turistas serão únicos a entrarem e saírem de Da Nang. Todos os outros voos comerciais foram cancelados e os negócios não-essenciais da cidade foram fechados. É um duro golpe para a economia da cidade, que depende do turismo e estava salvando sua temporada graças às visitas dos vietnamitas durante as férias escolares.

Em outros lugares do país, o governo comunista de Hanói também recomendou o uso das máscaras e a reativação dos protocolos de segurança em locais de trabalho e hospitais, por precaução. Eventos de lazer e esporte, como o campeonato local de futebol, foram suspensos para evitar novos riscos.

Medidas contra a covid-19

O país está com as fronteiras fechadas desde 23 de março, exceto para vietnamitas que estejam voltando do exterior e trabalhadores estrangeiros especializados. Essas pessoas precisam fazer testes de coronavírus e cumprir duas semanas de quarentena.

O ressurgimento do vírus causou confusão no programa de rastreio de contatos do governo, que ainda não conseguiu detectar a origem do novo foco. As autoridades pretendem fazer mais de 10 mil novos testes nos próximos dias.

Apesar de ainda não ter detectado a origem, o governo disse que o novo surto trouxe uma cepa de vírus diferente das que chegaram ao país desde março, mais agressiva e difícil de tratar. Uma das hipóteses seria a entrada ilegal de cidadãos chineses na cidade turística.

O primeiro-ministro do Vietnã, Nguyen Xuan Phuc, determinou no sábado que o controle de fronteiras fosse reforçado e, no dia seguinda, a polícia prendeu um homem de nacionalidade chinesa que estaria envolvido em uma rede de tráfico de pessoas usada para colocar cidadãos chineses no Vietnã.

Até o momento, o Vietnã teve apenas 431 casos, graças à eficiência das equipes de rastreio, os testes para qualquer pessoa que tenha estado em contato com um infectado e confinamentos nas regiões onde houve maior número de contágios.