Internacional Virgínia é 1º estado do sul dos EUA a abolir pena de morte

Virgínia é 1º estado do sul dos EUA a abolir pena de morte

Mais de 1,4 mil pessoas foram mortas no estado desde 1600, ficando atrás apenas do Texas no número de penais aplicadas

Penitenciária de Greenvile, na Virgínia, possuia 'câmara da morte'

Penitenciária de Greenvile, na Virgínia, possuia 'câmara da morte'

SHAWN THEW / AFP

O estado da Virgínia se tornou o primeiro estado do sul dos Estados Unidos a abolir a prática da pena de morte na quarta-feira (24). A medida foi ratificada pelo governador Ralph Northam após o projeto ser aprovado pelo Legislativo no início do ano.

"Assinar essa lei é a coisa certa a se fazer. Não há local para a pena de morte no nosso estado, no sul e no país", disse Northam durante a cerimônia de assinatura realizada na penitenciária de Greensville. A instituição abriga a "câmara da morte" do estado e executou 102 pessoas entre 1991 e 2017, quando as mortes foram suspensas.

O estado era considerado o segundo que mais aplicava a pena capital entre os condenados, ficando atrás apenas do Texas, desde 1976. Estima-se que mais de 1,4 mil pessoas foram mortas pelo Estado desde 1600.

Northam afirmou que há um "sistema judicial falho", especialmente contra a população negra, e lembrou que nas últimas décadas 170 pessoas foram libertadas da execução porque provou-se que elas eram inocentes.

Ainda conforme o governador, no século 20, 296 dos 377 presos executados eram negros e há estudos que mostram que há uma maior propensão para a aplicação da pena capital contra pessoas negras que matam brancos.

Atualmente, duas pessoas estavam no corredor da morte - Anthony Juniper e Thomas Porter - que agora passarão para o regime de prisão perpétua sem possibilidade de liberdade condicional.

Com a decisão, a Virgínia se torna o 26º dos 50 estados norte-americanos a abolir a prática, sendo que 23 deles excluíram a pena de morte por leis próprias e três (Califórnia, Pensilvânia e Oregon) por terem assinado uma orientação das Nações Unidas.

Últimas