Internacional Vitória de Democrata aproxima Biden de maioria no Congresso

Vitória de Democrata aproxima Biden de maioria no Congresso

Resultado das eleições para senador na Geórgia é fundamental para futuro do governo do presidente eleito Joe Biden

  • Internacional | Do R7, com EFE

Resumindo a Notícia

  • Democrata Raphael Warnock vence a republicana Kelly Loeffler nas eleições para o Senado
  • Resultado das eleições implicam diretamente no futuro do governo de Joe Biden
  • Caso os Democratas ganhem as duas cadeiras, partido terá maioria no Congresso
Candidato democrata vence eleições para Senado e aproxima Biden de maioria no Congresso

Candidato democrata vence eleições para Senado e aproxima Biden de maioria no Congresso

Jim Lo Scalzo / EFE - EPA - Arquivo

Com 98% das urnas apuradas, o democrata Raphael Warnock venceu a republicana Kelly Loeffler no segundo turno da eleiçõe para senador na Geórgia, realizada na terça-feira (5) nos Estados Unidos. A votação tem papel vital no futuro do governo do presidente eleito Joe Biden, pois o resultado final dirá se Biden terá maioria no Congresso americano, o que facilitaria a articulação de projetos e leis propostas pela Casa Branca. 

Leia mais: Eleições nos EUA 2020: por que o presidente dos EUA é sempre dos partidos Republicano ou Democrata

Warnock derrotou a senadora republicana Kelly Loeffler no segundo turno das eleições estaduais, de acordo com projeções dos principais meios de comunicação social do país.

"Esta noite, mostramos que com esperança, trabalho árduo e pessoas ao nosso lado, tudo é possível", disse Warnock a seus apoiadores, em um discurso virtual transmitido por várias mídias. Sua adversária ainda não admitiu a derrota.

De acordo com as projeções da imprensa americana sobre a votação, quando já foram apurados mais de 97% dos votos, o democrata teria ultrapassado 50% dos votos, com uma vantagem de mais de 30 mil sobre Kelly Loeffler.

Eleição especial

Um segundo turno em eleição norte-americana é uma ocorrência rara e ainda se junta ao fato de ambas as cadeiras estarem em disputa. A vaga de Perdue é a que estaria em jogo normalmente seguindo o calendário eleitoral. Ele foi eleito em 2014 e cumpriu os seis anos regulamentares.

A cadeira ocupada por Kelly Loeffler está em uma eleição especial porque o senador Johnny Isakson, eleito em 2016, se aposentou em 2019 por motivos de saúde. O governador do Estado, Brian Kemp, apontou Loeffler para ocupar o cargo ao longo de 2020 até a votação desta terça, que definirá quem será o senador pelo restante do mandato, que se encerra em 2022.

Ambos os cargos estão em aberto porque nenhum dos candidatos teve votação acima de 50% na primeira votação, em 3 de novembro. Ao contrário de outros Estados, a Geórgia não teve apenas dois candidatos para cada vaga. Na votação de Perdue e Ossoff, havia um candidato independente na lista e na de Loeffler e Warnock, mais um republicano e um democrata.

Últimas