Internacional Vladimir Putin critica especulações sobre invasão da Ucrânia

Vladimir Putin critica especulações sobre invasão da Ucrânia

Russos acreditam que armamentos entregues aos ucranianos podem ser usados em conflitos na região separatista de Dombass

AFP
Presidente russo Vladimir Putin critica ações do Ocidente em apoio à Ucrânia

Presidente russo Vladimir Putin critica ações do Ocidente em apoio à Ucrânia

Alexey Nikolsky/Sputnik/AFP - 11.2.2022

O presidente russo Vladimir Putin classificou de "especulações provocativas" as acusações de que a Rússia esteja preparando uma invasão da Ucrânia durante conversa neste sábado (12) com o líder francês Emmanuel Macron.

"Vladimir Putin e Emmanuel Macron discutiram [...] especulações provocativas relacionadas com uma suposta 'invasão' russa da Ucrânia, que é acompanhada de entregas significativas de armamentos modernos para esse país", disse a Presidência russa em comunicado. 

O Kremlin considera que essas acusações e esses meios militares criam "as condições para possíveis ações agressivas das forças ucranianas em Dombass", uma região no leste da Ucrânia onde a Rússia apoia separatistas armados há oito anos.

Putin voltou a queixar-se de que os Estados Unidos e a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) se negam a aceitar "as iniciativas russas" para diminuir as tensões, ou seja, que a aliança atlântica ofereça garantias de que não se expandirá para o leste.

Outro desejo do presidente russo é que a Otan não incorpore a Ucrânia e que opere retiradas de meios militares na Europa Ocidental. O Kremlin também acusou Kiev mais uma vez de torpedear o processo de paz na guerra de Dombass.

Na conversa deste sábado, o presidente francês disse ao colega russo, por sua vez, que "um diálogo sincero não é compatível com uma escalada militar" na fronteira da Rússia com a Ucrânia.

Tanto Macron quanto Putin "expressaram a vontade de continuar o diálogo" para implementar os acordos de Minsk sobre a região separatista pró-russa de Dombass (leste da Ucrânia) e sobre "condições de segurança e de estabilidade na Europa", especificou o Palácio do Eliseu após um telefonema de uma hora e 40 minutos entre os dois líderes.

Macron ressaltou, contudo, que os ocidentais estão "decididos a reagir" se as Forças Armadas russas lançarem uma operação na Ucrânia. Ele também transmitiu "as preocupações de seus parceiros e aliados europeus". 

A discussão entre Macron e Putin é a continuação do encontro de cinco horas entre ambos na última segunda-feira (7) no Kremlin. No dia seguinte, o líder francês viajou para Kiev, onde se reuniu com o presidente ucraniano Volodimir Zelensky. Depois, Macron embarcou rumo a Berlim.

O governo francês indicou que essa viagem diplomática atingiu seu "objetivo" ao permitir "avançar" para reduzir a tensão entre Rússia e Ucrânia.

Últimas