Internacional Voo AH-5017: "Não há sobreviventes", declara François Hollande

Voo AH-5017: "Não há sobreviventes", declara François Hollande

O presidente francês também anunciou que a primeira caixa-preta do avião já foi recuperada

Voo AH-5017 : « Não há sobreviventes », declara François Hollande

O presidente francês manifestou seu apoio aos parentes e amigos das vítimas

O presidente francês manifestou seu apoio aos parentes e amigos das vítimas

REUTERS/Benoit Tessier

O presidente francês, François Hollande, anunciou nesta sexta-feira (25) que não há nenhum sobrevivente entre as 116 pessoas a bordo do voo AH-5017, que caiu no Mali quando voava de Burkina Fasso à Argélia, na África.

A maior parte dos passageiros era de origem francesa e deveria fazer uma conexão em Argel, na Argélia, para Paris ou Marselha. O acidente, portanto, gerou um clima de luto em toda a França. O país está liderando as investigações sobre o acidente.

Segundo o jornal francês Le Figaro, Hollande também afirmou que uma caixa-preta já foi encontrada e será encaminhada a Gao, no Mali, onde será examinada.

O presidente francês declarou que as famílias das vítimas serão recebidas amanhã no Ministério das Relações Exteriores da França, no qual lhes serão fornecidas todas as informações de que precisam. “Todos os meus pensamentos estão voltados para as vítimas e seus familiares”, disse Hollande. “Nós estamos com eles”.

De acordo com o político, é provável que o avião tenha caído devido a adversidades meteorológicas, mas “nenhuma hipótese será descartada”. Ele reforçou que especialistas em pesquisa e análise da Aviação Civil francesa foram enviados ao local e farão todas as investigações necessárias. “Ainda é muito cedo para tirar conclusões”.

Investigadores no local do desastre no norte do Mali concluíram que o avião se partiu quando atingiu o solo, sugerindo que isso indica ser improvável ter sido alvo de um atentado.

Uma coluna de cem soldados e 30 veículos das forças francesas estacionadas na região chegou ao local na manhã desta sexta-feira para proteger a área da queda, perto da cidade de Gossi, no norte malinês, e recuperar os corpos, informou uma autoridade do Ministério da Defesa.

O voo AH-5017 da Air Algérie, com 116 pessoas a bordo, caiu no Mali na última quinta-feira (24). O avião decolou de Ouagadougou, em Burkina Fasso, país da costa oeste da África, à 1h17, pelo horário local, e deveria ter aterrissado em Argel, capital da Argélia, às 5h10, horário local, mas não chegou a seu destino.

Um oficial de aviação argelino citado pela agência Reuters confirmou a queda do avião.

De acordo com a agência de notícias francesa France Presse, a Air Algérie perdeu o contato com o avião após a tripulação pedir para fazer uma mudança de rota devido à pouca visibilidade. Um oficial da Air Algérie declarou que o último contato com o avião foi ainda no Mali, sobre Gao.

As duas últimas semanas foram marcadas por três acidentes aéreos. Na quinta-feira passada (17), o voo MH-17 da Malaysia Airlines caiu no leste da Ucrânia, região ocupada por rebeldes separatistas pró-Rússia. Acredita-se que a aeronave foi abatida por um míssil.

Desde o incidente, que deixou 298 mortos, os governos de Rússia e Ucrânia têm trocado acusações sobre a autoria do suposto disparo.

Na quarta-feira (23), um piloto teve problemas ao tentar efetuar um pouso de emergência em Taiwan e pelo menos 47 morreram.

Presidente do Mali afirma que destroços do avião da Air Algérie foram encontrados no norte do país

Em menos de dez dias, três acidentes aéreos deixam mais de 340 mortos

    Access log