Votos por correio: Câmara dos EUA aprova o bloqueio a reformas

Com um placar de 257 a 150, a votação enviou a legislação 'Delivering for America Act' para o Senado, que é controlado pelos republicanos

Deputados votaram a favor do bloqueio a reformas vistas como ameaça

Deputados votaram a favor do bloqueio a reformas vistas como ameaça

Jonathan Ernst/Reuters - 3.1.2019

A Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, liderada pelos democratas, votou no sábado (22) para fornecer 25 bilhões de dólares aos serviços postais e bloquear mudanças que geraram preocupações sobre a votação pelo correio antes da eleição de 3 de novembro.

Com um placar de 257 a 150, a votação enviou a legislação apelidada de "Delivering for America Act" para o Senado, que é controlado pelos republicanos. Mas o líder da maioria no Senado, Mitch McConnell, disse em um comunicado que o Senado "absolutamente não aprovaria" o projeto de lei.

A Casa Branca também se opõe fortemente à proposta e disse que recomendaria que o presidente Donald Trump vetasse a medida.

Mas mais de duas dúzias de republicanos da Câmara foram contra a corrente e se juntaram aos democratas na aprovação do projeto, durante uma rara sessão de sábado convocada pela presidente da Câmara, Nancy Pelosi, no meio do recesso do Congresso em agosto.

Votos pelos Correios

Com a expectativa de que a votação por correspondência cresça durante a pandemia do coronavírus, Trump tem alarmado democratas ao denunciar repetidamente as cédulas enviadas por correio como uma possível fonte de fraude.

O diretor-geral dos Correios dos Estados Unidos, Louis DeJoy suspendeu recentemente as medidas de corte de custos que desaceleraram as entregas nas últimas semanas.

Os democratas, que acusam Trump de tentar desencorajar a votação por correio para obter uma vantagem eleitoral sobre o candidato presidencial democrata, Joe Biden, se colocam como defensores de um público que depende dos Correios para entregas vitais, incluindo medicamentos prescritos.