China

Internacional Xangai cancela todos os voos por chegada do tufão In-fa

Xangai cancela todos os voos por chegada do tufão In-fa

Cidade da costa letes da China retirou 360 mil pessoas de suas casas para se preparar para chuvas intensas e fortes ventos

Agência EFE
China tem fortes chuvas com a chegada no tufão In-fa ao país

China tem fortes chuvas com a chegada no tufão In-fa ao país

HECTOR RETAMAL / AFP

A cidade de Xangai e outras localidades da costa leste da China suspenderam todos os voos e cancelaram em grande parte o transporte subterrâneo e de ônibus antes da chegada do tufão In-fa ao país.

O tufão chegou do mar hoje ao longo da costa da província de Zhejiang, ao sul de Xangai, na cidade portuária de Zhoushan, segundo a emissora de televisão estatal, que citou a Administração Meteorológica da China como fonte.

O In-fa se aproxima em um momento no qual a província de Henan vem sofrendo com chuvas torrenciais sem precedentes. Várias cidades foram inundadas e pelo menos 58 pessoas morreram, enquanto quase 1 milhão tiveram que ser realocadas.

O tufão vem provando fortes chuvas e ventos de mais de 135 km/h perto de seu centro. A Administração Meteorológica da China prevê que ele se desloque para noroeste a cerca de 15 quilômetros por hora.

As autoridades marítimas chinesas emitiram alertas vermelhos de emergência nas províncias de Zhejiang e Jiangsu e na cidade de Xangai. Espera-se que o In-fa perca força à medida que se desloca, mas há previsão de chuvas acumuladas em Xangai que cheguem a até 200 milímetros por metro quadrado.

Cerca de 360 mil pessoas foram retiradas de áreas perigosas em Xangai, de acordo com o Global Times oficial.

Cinco linhas do metrô em Xangai foram suspensas, assim como o trem expresso para o aeroporto, e vários parques de diversões, incluindo a Disney, foram fechados.

As inundações em Henan mataram 12 pessoas no metrô de sua capital, Zhengzhou, depois que os passageiros ficaram presos em trens com água até o peito.

Todos os voos, tanto em Xangai quanto na cidade vizinha de Hangzhou, também foram cancelados. O tráfego de embarcações em grande parte das águas do Mar da China Oriental também foi suspenso, e centenas de pequenas embarcações foram retiradas dos portos que devem ser os mais afetados.

Últimas