Xi visita Wuhan em marco de virada da China contra o coronavírus

Cidade foi epicentro da doença e deixou 11 milhões de habitantes em quarentena. País está registrando queda no número de novos casos

Xi visita Wuhan, cidade epicentro do surto de coronavírus

Xi visita Wuhan, cidade epicentro do surto de coronavírus

Xie Huanchi/Xinhua via REUTERS - 10.3.2020

O presidente da China, Xi Jinping, fez nesta terça-feira (10) sua primeira visita a Wuhan desde que um surto de coronavírus forçou uma interdição inédita da cidade de 11 milhões de habitantes na região central do país, em um sinal de que os esforços das autoridades para controlar o vírus estão funcionando.

A chegada de Xi ocorreu no mesmo dia em que Wuhan fechou o último dos 14 hospitais de emergência que abriu para lidar com uma leva de pacientes de coronavírus que sobrecarregou o sistema de saúde da cidade, relatou o site de notícias The Paper.

Mais cedo nesta terça-feira, a China anunciou que só teve 19 infecções novas de coronavírus na segunda-feira — um dia antes foram 40. O número ainda marcou o terceiro dia consecutivo sem casos novos transmitidos domesticamente na China continental fora da província de Hubei, onde Wuhan se localiza, apesar de a doença se alastrar rapidamente em outros países, como Itália e Estados Unidos.

Lado positivo da visita

A notícia da visita de Xi a Wuhan animou as ações chinesas. O índice blue-chip encerrou o dia com alta de 2,1% depois de chegar a ficar negativo no pregão da manhã.

"É óbvio que Xi não poderia ter visitado Wuhan antes porque o risco de ele contrair o vírus lá era muito alto inicialmente", disse Zhang Ming, professor da Universidade Renmin de Pequim, à Reuters.

"Ele está lá agora para colher o que plantou. Ele estar lá significa que o Partido Comunista Chinês pode declarar vitória contra o vírus em breve".

Métodos elogiados

A China foi criticada interna e externamente por sua reação inicial ao surto, suprimindo informações e minimizando seus riscos, mas seus esforços de controle draconianos, incluindo a interdição de Wuhan e da província de Hubei, têm sido eficazes na contenção da epidemia.

Ainda nesta terça-feira, Hubei disse que adotará um "código de saúde" para permitir que as pessoas de áreas de risco médio ou baixo possam começar a viajar.

Qianjiang, outra cidade de Hubei, disse que todos os postos de verificação de tráfego serão retirados, que o transporte público será reativado e que as empresas voltarão ao trabalho no futuro próximo, de acordo com uma reportagem de um site oficial.

Durante sua viagem a Wuhan, Xi "visitará e expressará apreço pelos agentes médicos, militares e soldados, agentes comunitários, policiais, autoridades e voluntários que vêm combatendo a epidemia na linha de frente, além dos pacientes e moradores durante a inspeção", informou a agência estatal de notícias Xinhua.