Comércio goiano avança em agosto, mas mantém acumulado do ano negativo

Setor de livros, jornais, revistas e papelaria apresentou a maior variação negativa (-36,7%) e já acumula queda de 50,2% no acumulado do ano O post Comércio goiano avança em agosto, mas mantém acumulado do ano negativo apareceu primeiro em Jornal Opção.

Setor de livros, jornais, revistas e papelaria apresentou a maior variação negativa (-36,7%) e já acumula queda de 50,2% no acumulado do ano

Fotos: Fernando Leite/Jornal Opção

A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do mês de agosto divulgada pelo IBGE nesta quinta-feira, 10, mostra que o volume de vendas do comércio varejista goiano em agosto de 2019  avançou 0,7% frente a julho de 2019, na série com ajuste sazonal. Já em nível nacional, observou-se um avanço de 0,1% na mesma base de comparação. Quando comparamos agosto de 2019 com o mesmo mês em 2018, observa-se um recuo de 3,1%, sendo a quinta queda seguida que corrobora com um acumulado negativo (-0,1%) no ano, enquanto o volume do varejo nacional teve um aumento mensal de 1,3% e acumulado de 1,2% no ano.

Já o comércio varejista ampliado goiano (que inclui as atividades de Veículos, motos, partes e peças e de material de construção) registrou o mesmo aumento de 0,7% em agosto de 2019, quando comparado com julho de 2019, na série com ajustes sazonais. Em nível nacional o volume de vendas do varejo ampliado permaneceu estável 0,0%. Já quando comparado com agosto de 2018, o volume de vendas do comércio varejista goiano ampliado apresenta movimento oposto com uma diminuição de 0,2% e um aumento no acumulado do ano de 3,0%, enquanto no Brasil, o aumento da variação mensal foi de 1,4% e no acumulado de 3,5% no ano.

Vendas de móveis

Seis das dez atividades tiveram queda em agosto de 2019, quando comparado com agosto de 2018, no volume de vendas do comércio varejista ampliado goiano. O setor que apresentou a maior variação negativa foi o de livros, jornais, revistas e papelaria (-36,7%) que já acumula queda de 50,2% no acumulado do ano. Logo após vem Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-7,3%) e Móveis e eletrodomésticos (-6,3%) que já atinge a quarta queda seguida, puxada principalmente pelas quatro quedas consecutivas nas vendas de eletrodomésticos (-13,9%).

Já com relação aos setores que tiveram aumento, o principal deles foi Outros artigos de uso pessoal e doméstico (22,8%), seguido de Veículos e motos, partes e peças (6,5%, a quarta alta seguida) e por fim Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (-1,1%).

Variação mensal do comércio

Regionalmente, para o volume de vendas do comércio varejista, 14 das 27 unidades da federação assinalaram avanço em agosto de 2019 sobre o mesmo mês do ano anterior. Goiás teve uma recuo de 3,1%, tendo queda menor apenas que Ceará, Rio Grande do Sul, Piauí e Paraíba.

O post Comércio goiano avança em agosto, mas mantém acumulado do ano negativo apareceu primeiro em Jornal Opção.