Boletim JR 24H Procurador-geral da República defende acesso aos dados de celular em local de crime sem autorização judicial

Procurador-geral da República defende acesso aos dados de celular em local de crime sem autorização judicial

Augusto Aras entende que a autoridade policial deve ter direito aos dados sem que haja violação de direitos

O Ministério Público Federal defendeu no STF que a polícia tenha acesso aos dados do celular apreendido em local de crime, sem autorização judicial. A manifestação do procurador-geral, Augusto Aras, foi em uma ação que ainda será julgada no Supremo. Aras entende que a autoridade policial pode acessar os registros telefônicos, a agenda de contatos e outros dados gravados em celular apreendido no local do crime sem que isso represente violação ao sigilo das comunicações, ao direito à intimidade ou à privacidade.

Veja ainda nesta edição do Boletim JR 24H: Secretaria de Saúde informa que máscara segue obrigatória em todo o estado do RJ.

Últimas