JR na TV Assassinato de líder comunitária em SP pode ter relação com desvio de dinheiro público

Assassinato de líder comunitária em SP pode ter relação com desvio de dinheiro público

Vera Lucia era presidente de uma ONG que recebia 500 mil reais por mês da prefeitura para administrar projetos sociais e creches em comunidades 

Novas provas podem ajudar a esclarecer o assassinato de uma líder comunitária da zona sul de São Paulo. Os documentos obtidos com exclusividade pelo Jornal da Record mostram que a ONG que ela presidia desviava dinheiro público. A resposta para o assassinato da líder comunitária Vera Lucia da Silva Santos pode estar em extratos bancários. Vera Lucia era a presidente de uma organização não-governamental que recebia 500 mil reais por mês da prefeitura para administrar projetos sociais e creches em comunidades da zona sul de São Paulo. Todos os meses, a instituição tinha que prestar contas para a diretoria de ensino, para comprovar o destino do dinheiro público e a saúde financeira da ONG. A polícia analisou a movimentação de 15 contas de dois bancos. Vera Lucia desapareceu em julho do ano passado e foi encontrada morta dois dias depois do desaparecimento. A polícia não tem dúvida de que o assassinato da líder comunitária tenha ligação com a fraude.

Últimas