JR na TV CPI: coronel Helcio Bruno nega ter presenciado pedidos de propina na negociação de vacinas

CPI: coronel Helcio Bruno nega ter presenciado pedidos de propina na negociação de vacinas

Militar não respondeu se o Instituto Força Brasil, do qual é presidente, tem autorização para negociar imunizantes

A CPI da Pandemia ouviu nesta terça-feira (10) o depoimento do tenente-coronel da reserva Helcio Bruno. Ele teria sido intermediador entre o ministério da Saúde e pessoas que tentavam vender vacinas em nome da empresa Davatti. Aos senadores, Helcio Bruno disse não ter influência na pasta e afirmou que visava apenas acelerar a autorização para que empresas privadas pudessem comprar vacinas. O militar, porém, não respondeu se o Instituto Força Brasil, do qual é presidente, tem autorização para negociar imunizantes.

Últimas