JR na TV CPI da Pandemia ouve servidora responsável por fiscalizar o contrato de compra da Covaxin

CPI da Pandemia ouve servidora responsável por fiscalizar o contrato de compra da Covaxin

Servidora disse que não houve pressão para a aprovação do contrato, versão oposta à de Luis Ricardo Miranda

O contrato com o laboratório Barath BioNTech foi fechado em 25 de fevereiro, mas o governo só nomeou um fiscal de contratos no dia 22 de março. A servidora Regina Célia Oliveira foi nomeada para a função dois dias depois de o presidente Bolsonaro ter sido supostamente avisado pelos irmãos Miranda sobre possíveis fraudes na compra da Covaxin. Em vários momentos, a servidora disse que não houve pressão para a aprovação do contrato, versão oposta à de Luis Ricardo Miranda. Regina Célia disse também que não conhece o líder do governo, Ricardo Barros, e também não tratou sobre a compra da Covaxin com Roberto Dias, então diretor de logística do ministério.

Últimas